Trem da Alegria e a Grande Imoralidade: Triste Futebol Brasileiro!

Enquanto a CBF esbanja recursos, os clubes afundam ainda mais

A Copa do Mundo irá começar e enquanto a grande maioria dos clubes brasileiros vivem grande crise financeira, a CBF irá promover o grande TREM DA ALEGRIA com altíssimo custo em torno de três milhões, ela irá convidar os 27 presidentes das federações do país e, além disso, fez um sorteio contemplando mais dez clubes brasileiros, Bahia, Atlético-MG, Ceará, Atlético-PR, São Paulo, Avaí, Guarani, CRB, Brasil de Pelotas e Paysandu, com todas as despesas pagas.

A grande questão é qual a imparcialidade que terão estes dirigentes de Federação e clubes para votar contra eles numa futura eleição, qual a moral que estes presidentes terão para cobrar por melhoria para seus clubes, aliás, este esquema de convidar os presidentes das federações foi instituído pelo Sr. Ricardo Teixeira como uma forma de perpetuação no cargo, que é o grande acusado de encabeçar uma organização criminosa e com denúncias seríssimas de desvio de dinheiro sendo alvo da Polícia Federal e até do FBI.

Ele renunciou o cargo e passou o esquema para José Marin, seu vice que morava nos Estados Unidos em um dos metros quadrados mais caro de lá, foi considerado culpado em seis acusações das sete a ele atribuída: Conspiração para organização criminosa, fraude financeira nas Copas América, Libertadores e do Brasil entre outros crimes, hoje cumpre pena no centro Metropolitano do Brooklyn, sua atual morada.



Ele saiu da CBF e deu lugar a Marco Polo Del Nero em abril 2015, entrou e tudo continuou como dantes, o Comitê de Ética da FIFA puniu ele com suspensão vitalícia do futebol por corrupção e foi indiciado pela justiça Americana em 2015, mas, desde então evita sair do País para não ser preso, ele ainda trabalhou para que seu aliado e candidato único fosse eleito com 135 votos dos 141 possíveis, todas as vinte e sete federações votaram nele, dos vintes clubes da Série A, só Flamengo se absteve, o Corinthians votou em branco e o Atlético-PR não enviou representante. O restante voltou nele, ou seja, qual o nível de imparcialidade dessas federações e dos clubes convidados para a grande imoralidade que acontece a cada quatro anos?

Enquanto a CBF esbanja recursos, vimos recentemente os balanços dos clubes brasileiros filiados à entidade quase todos com dívidas altíssimas e devido à crise que estabeleceu no País, o cenário é cada vez difícil para manter suas contas em dia, principalmente salários de jogadores, vemos hoje clubes tidos como exemplo de administração passar por séria crise financeira, e apesar do regulamento da CBF ter por fim básico: Administrar, dirigir, controlar, incentivar, melhorar, regulamentar e fiscalizar entre ostras coisas as competições de futebol e fere de maneira grosseira no regulamento do Art. 6º, que diz : “Não tem objetivos lucrativos”.

Na prática, todo esse recurso escoando pelo ralo da imoralidade e roubalheira dos seus dirigentes, enquanto seus filiados mínguam com a cuia na mão. Triste Futebol Brasileiro.

Jorge Machado, torcedor do Bahia, amigo e colaborador do Futebol Bahiano.

 

Deixe seu comentário