Emocionado, zagueiro do Bahia fala sobre retorno: “Momento único”

Após quase um ano de luta e muito sofrimento, o zagueiro Jackson finalmente se aproxima do retorno aos gramados, para felicidade do jogador, dos amigos e familiares, e da torcida do Bahia. Esta semana, o atleta calçou chuteiras e desceu para o gramado do centro de treinamento, algo muito especial e bastante comemorado por ele que, inclusive, abriu o coração e falou o tempo que ficou inativo e a expectativa pela volta, em entrevista ao Programa Oficial do Esquadrão.

– Fico até emocionado em falar. Acabei postando o vídeo na rede social. Momento único para mim, por tudo que passei, vai se fazer agora um ano sem poder jogar. Sofri muito com várias coisas, dores, a dúvida se havia como voltar ou não, esse momento para mim fica marcado. A minha família toda, meus amigos mais próximos, sabem o que passei, o que venho passando para poder voltar a jogar futebol, fazer o que mais amo. Momento único na minha vida. Parecia uma criança no campo, brincando com a bola. Espero que seja o início da recuperação, que daqui para frente possa ser de muita alegria, poder voltar a jogar, fazer o que mais amo, se Deus quiser ajudar meus companheiros dentro de campo e, quem sabe, ser coroado com um título no fim da temporada. Esse é o objetivo. Depois da segunda cirurgia mexeu em tudo. Mexeu no eixo do corpo. Fiquei três meses sem colocar o pé no chão. Tive que reaprender a andar, reaprender a correr. É todo um processo, uma coisa de cada vez, estou iniciando a corrida agora, tem uma semana e pouquinho, ainda sinto algumas dores, mas é dor de readaptação. Espero que daqui para frente possa ser dia após dia melhor que o início. O pessoal da fisioterapia está me ajudando muito. Tem um longo período sem atuar. Espero voltar o mais rápido possível.




Ansioso para voltar a entrar em campo para um jogo oficial, Jackson fica feliz até com as dores musculares provocadas pelas primeiras atividades físicas mais pesadas após um longo período de inatividade.

– Até brinco om o pessoal da fisioterapia que essa dor muscular vem fruto do trabalho, e fico feliz com essas dores. É uma dor que há muito tempo estava sentindo falta. Faz parte do processo. Muito bom poder sentir essa dor. Ela vai amenizando conforme os treinos, com ritmo. Daqui pra frente é só alegria.

 

Titular absoluto da defesa do tricolor em 2016, Jackson sofreu duas cirurgias no mesmo joelho, enfrentou um tratamento para se recuperar de uma hérnia de disco e passou a maior parte da última temporada no departamento médico. Foram apenas oito jogos ao longo do ano, o último deles em maio de 2017, contra o Vitória, na final do Campeonato Baiano.

A primeira lesão ocorreu em abril, quando sofreu um trauma no joelho, conviveu com dores, não conseguiu se recuperar com tratamentos conservadores e acabou submetido a uma videoartroscopia. Em agosto, quando estava próximo de retornar aos treinos, Jackson foi diagnosticado com uma hérnia de disco. Não havia previsão de volta. E um novo problema surgiu. No mês de outubro, ele foi recomendado pelo Tricolor a procurar um especialista para cuidar de um problema chamado “joelho valgo”, um desalinhamento dos membros inferiores, em que os joelhos são forçados para a área interna das pernas.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*