Bellintani revela estrutura diretiva e afirma “Tenho experiência de gestão”

"O objetivo é gastar menos com administrativo para gastar mais com futebol"

O presidente eleito do Esporte Clube Bahia, Guilherme Bellintani, recebeu em sua casa a equipe do Jornal Correio para um bate papo onde falou sobre diversos assuntos importantes que envolve o futuro do clube, um deles a formação da nova diretoria, que já tem praticamente tudo definido. O mandatário tricolor explicou que “dividiu” o clube em sete eixos, com destaque para os departamentos financeiro, jurídico e operações. Ele frisou ainda que “o objetivo é gastar menos com administrativo para gastar mais com futebol” e destacou sua “experiência de gestão e orçamento de empresa”.

Veja a fala completa:

“Para mim tá muito claro que a estrutura atual foi feita para um momento do clube. Era preciso criar um projeto de marketing para aquele momento, uma estrutura administrativo/financeira ara aquele momento e um modelo de futebol mais clássico, focado em um diretor que sozinho respondia por tudo sucesso e insucessos. Prevemos para o próximo ciclo uma mudança bem representativa. Dividimos o clube em sete eixos.

Os três primeiros seriam os departamentos financeiro, jurídico e operações. Este último engloba operação nos jogos, Fazendão, etc.. Estão mais ligadas a cabeça gerencial, administrativo/financeiro clássica. Outros dois núcleos são marketing e gerência de inovação. Tem a parte do marketing tradicional, que eu chamo de analógico e a parte mais voltada para a inovação, que eu chamo de “negócio digital”. E mais dois ligados ao futebol que é base e futebol profissional. O diretor de futebol tende a cuidar dos dois núcleos com participação intensa na base. A parte do administrativo/financeiro e mercado, como chamam, podem ser tratados por um único diretor de planejamento. A gente pode trazer um diretor de planejamento e ter um geral, que alguns chamam de CEO.

A gente pode deixar o geral ligado comigo e Vitor (Ferraz). O futebol vai ter o diretor próprio, mas a ideia é que venha outro abaixo, para gerenciar. Todos estes sete eixos, ou núcleos, terão seus respectivos gerentes. O objetivo é gastar menos com administrativo para gastar mais com futebol. Ter uma composição de diretoria macro comigo, Vitor, Cerri e mais uma pessoa e os gerentes. Na saída de Barros (Marcelo), eu posso não precisar de um novo diretor específico para isso. Já resolvi problemas orçamentários maiores. Eu tenho experiência de gestão e orçamento de empresa. Vai requerer a minha presença mais intensa”

Deixe seu comentário