Ceará enchendo estádio é de momento. A torcida do Bahia é constante!

A nova Fonte Nova vem ganhando a antipatia de boa parte da torcida

Texto: Tricolor 87.

O mundo de hoje é capitalista, logo, quem manda no mercado é o dinheiro, e assim sendo, qual profissional que não busque uma proposta financeira mais vantajosa, sobretudo com uma vitrine direta para o mercado europeu? Quem fica no time por amor, somos nós torcedores, isto porque não somos profissionais, a menos que seja alguém que não necessite mais de dinheiro, e jogue por prazer, amor.

Exemplo hipotético: Daniel Alves ou Dante, em fim de carreira, já tendo todo dinheiro que necessitam, e fazem um contrato simbólico. Só assim.

O Corinthians, Palmeiras, Flamengo, São Paulo, etc, realmente têm mais nome que o nosso Bahia.. mas pense comigo: Há quanto tempo os times de lá recebem o triplo, quadruplo de receitas (cotas de TV, propaganda, etc.) em relação aos times do nordeste? Tempo o suficiente para se estruturar e fortalecer ainda mais. Será que se o Bahia, Vitória, Sport, Ceará, entre outros como o Paysandú (Norte do Brasil) ganhassem a mesma coisa não brigariam em pé de igualdade em relação as contratações e títulos?

Quantos torcedores do nordeste deixam de torcer para os times de suas respectivas regiões, para torcerem por times do Sul, Sudeste, por conta das transmissões de rádios de outrora, e das transmissões dos jogos atualmente? Será que isso não influencia no número de sócios? Pois com sócios e consequentemente mensalidades em dia é que se possibilita almejar um crescimento.

Sobre a declaração de Dalmo Carrera, afirmando que “Ceará enche estádio, 46 mil, etc” e que por isso “é a melhor do Nordeste”, digo e afirmo, isso se deve ao momento do acesso, afinal, no início da Série B o Vozão colocava 3, 5 ou 7 mil no estádio, além do fato de estar um bom tempo longe da elite, o que aumenta a importância do acesso, exemplo do Bahia em 2010. Constante e regular mesmo é a torcida do Esporte Clube Bahia.

Porém hoje por imperar esse mesmo capitalismo supracitado, a FONTE NOVA virou a Arena Fonte Nova, ainda que mais confortável, apresenta preços caros, serviços questionáveis, ganhando a antipatia de boa parte da torcida, que muitas vezes têm de optar entre pagar uma conta ou ir ao jogo. E por não ser mais R$ 10, 20 reais, e sim 40 para cima, afasta o povo do jogo, sem citar a facilidade de acompanhar um jogo no conforto de casa com a compra dos canais fechados ou de graça pela internet.

Demonstradas as razões da disparidade entre os clubes e voltando a temática:  O máximo que o Bahia pode fazer, é “se respeitar” e agir como um dos gigantes do norte-nordeste que é e “bater o pé” no valor de venda dos jogadores. Se é “X” valor, só sai por “X” valor! E não com negociações que beiram o desrespeito, querendo abater os preços com jogadores bichados.

No mais…. BBMP! Rumo a libertadores? Não sei… espero que sim! Lá já estivemos.

Tricolor 87, torcedor do Bahia e amigo do Futebol Bahiano.

  • nesse caso o certo é observar as médias de públicos…