Se o Bahia não trocar o técnico, a vaca vai para o brejo!

Eu não critico mais o Esporte Clube Bahia – no momento tento não penar muito com as decepções ou até esquecer que existe, mas, sabemos impossível. Eles sabem de tudo, não são cegos, são sim, teimosos, egoístas, irredutíveis, exclusivistas, donos e senhores da verdade. Futebol é como nós sabemos: é o velho e antigo feijão com arroz com evoluções comprovadas. Os grandes técnicos não inventam.

 

Desde o início (eu simples mortal), porém, sempre contra a esta “solução caseira, até como assistente” – Preto. No passado, jogador meia boca, gente boa, um bom rapaz, porém, daí a técnico de um time de reconhecida tradição e grandeza, tem uma distância muito grande. Estudou onde? Estagiou onde? Auxiliou qual grande técnico? Só porque é prata da casa e passou meia hora como assistente e é amigo dos jogadores? E daí? Amigos amigos, negócios a parte, velho ensinamento.

É como dizia Chico Anísio: Bom rapaz, porém não serve para ser meu genro. Quer para você leva.

 

Não ofendo ao ser humano.

O responsável por tudo: O dirigente, porque esta história “falta dinheiro” não existe – o Bahia pode não ser o mais “endinheirado” mas, não é pior deles e “deles”, todos mesmo sem dinheiro, fazem e acontece. Olha, que estou “a cavalheiro para falar”, porque em outras épocas já ajudei muito ao Bahia, os jovens, sede, mantivemos jogadores em teste, etc. Éramos um grupo de abnegados que na época magra ajudava o clube com sacrifício de nosso bolso (era dirigido por outro teimoso, dono da verdade, extremamente vaidosos e autoritário).

 

O Bahia tem um elenco de razoável para bom (cito os demais clubes, que a exemplo do líder do campeonato, todos com jogadores rodados, inclusive “passados pelo Bahia” Marquinhos Gabriel, Camacho, Nadson e outros, porém, com comando, diferente daqui, sem comando, um bando de egos e egoístas.

 

Junte a isso, que o ser jogador de futebol, “são intocáveis”- fazem o que quer. Os “caras cometem cada falta maluca, desnecessária, são expulsos etc.. e sequer são chamados a dar explicações. Recordo aquele celebre episódio do jogo Bahia x Flamengo – aquela palhaçada – ator de última categoria, de nosso defensor que foi expulso e prejudicou o time. O que aconteceu e acontece? Nada. Os mortais trabalhadores são assim?

 

Olha “cara” tu és bem tratado, tem salário combinado, recebe em dia, excelente ambiente de trabalho, então, cumpre tua obrigação e respeita o clube. Sou aposentado e moro na Europa – (desculpa, não quero ser exibicionista) e vejo a diferença, com clubes com muito menos estrutura e dinheiro de que o Bahia. Nunca gostei de Guto, porém reconheço que deu uma nova cara ao time, que mesmo perdendo tinha uma estrutura de jogo, um padrão, era respeitado.

 

Bastava alguns ajustes, mas a vaidade deixa? Aquele quarteto desaprendeu – não sabe mais jogar? Não, injustamente são afastados do time principal por vaidade ou teimosia do técnico. Estava lesionado, ficou bom, eram o titular, então retoma ao time – isto se chama respeito e coerência. Agora, afastar os caras do time sem que em para que, não entendo. Rodrigão um bom jogador, início bom, porém, o mais leigo do futebol sabe que não atravessa boa fase no momento. Que faria um técnico consciente e inteligente? Chama o jogador, conversa e afasta para recuperar e assim por diante.

 

Ah. O esquema tático – bem, este é incrível: espiar o adversário jogar. Acho que se não trocar o técnico – a vaca vai para o brejo. Ainda é tempo. Atlético Mineiro trocou esta semana.

 

Essa é minha opinião, respeito as demais.

 

DA Fonseca Alves, torcedor do Bahia e amigo do BLOG.

Deixe seu comentário