Meia revelado no Bahia ainda não pendurou as chuteiras

O meia Jorge Wagner, revelado no Bahia e com breve passagem pelo Vitória, apesar do que foi divulgado na imprensa semanas atrás, ainda não pendurou as chuteiras de forma oficial. O jogador esteve no Fazendão esta semana e concedeu entrevista ao Bahia Notícias, onde falou sobre aposentadoria e o projeto FSA Esporte Clube, que atende crianças, na cidade de Feira de Santana. O jogador tem um vasto currículo, jogou por Cruzeiro, São Paulo, Corinthians, Internacional, além de times estrangeiros como o russo Lokomotiv Moscou, o espanhol Betis e, dos japoneses, Kashiwa Reysol e Kashiwa Antlers.

O último clube que ele defendeu foi o Fluminense de Feira, time da sua cidade natal, onde disputou o Campeonato Baiano deste ano. Ele entrou em campo pelo tricolor feirense em 20 partidas e marcou oito gols. Sobre aposentaria, Jorge Wagner disse que ainda não se decidiu, porém, está perto de bater o martelo e abandonar as chuteiras, mas permanecerá no mundo do futebol.

 

Veja a entrevista completa:


Quando vai se aposentar?

“Não deveria estar (indeciso), mas é do ser humano. Quando chega numa determinada fase da vida em que passa por este momento, não só na vida profissional, como também pessoal, a gente tem sempre que consultar a nossa família. Houveram algumas propostas para estar jogando nesse segundo semestre, mas por uma decisão de toda a família, a gente preferiu esperar mais um pouco mais para ver o que pode acontecer no próximo ano. Mas posso falar que estou muito decidido mesmo a encerrar a carreira e procurar outra coisa”



E quando se aposentar?

“Eu gostaria muito de estar no meio do futebol. Já tem a oportunidade desse projeto lá em Feira e algumas coisas também em Goiânia com o clube Jataí, que é outro projeto que tenho com o pessoal de lá. Vamos aguardar, vai ser tudo muito bem pensado para que a gente possa tomar o próximo passo. Pouco a pouco vamos definindo os passos para o futuro” 

Projetos:

 

“O projeto em Feira de Santana já está indo para o terceiro ano, que é o FSA Esporte. É um projeto em que damos oportunidade para vários meninos, não só na parte do futebol, como também na parte de cultura. Nós temos também várias outras modalidades de esporte. Aliado a isso, já estamos revelando e colocando alguns jogadores em alguns clubes. É um projeto que tem pouco tempo, mas é um trabalho que pode ter uma repercussão muito grande. Já temos alguns jogadores aqui nas categorias de base do Bahia e tenho certeza que eles vão ter bom desempenho dentro do clube. Na verdade é aquele momento de transição. O final da carreira ainda não foi anunciado, mas acho que daqui para o final do ano a gente vai fazer esse pronunciamento”