Preto Casagrande não é interino e sim o técnico do Bahia

Após terminar 2016 e iniciar 2017 com o contestado Guto Ferreira que, diga-se, deixou saudades para boa parte da torcida, até para aqueles que metralhavam sem pena e sem dó o treinador que, independente de de qualquer questionamento, tirou o Bahia da Série B (mesmo dos trancos e barrancos) e ajudou diretamente na conquista da Copa do Nordeste. Quando o casamento caminhava para dá certo e completar Bodas de Papel (1 ano), eis que Gordiola decidiu pedir a separação para reatar com um antigo amor de longas datas, o Internacional, deixando o tricolor sem técnico no início da caminhada no Brasileiro. 

A diretoria do Bahia, sempre taxada como lenta na questão de negociações, foi rápida no gatilho, perdeu Guto no dia 30 de maio e no dia 1º de junho anunciou oficialmente Jorginho como o substituto, no enanto, os maus resultados, principalmente em casa, derrubaram o treinador precocemente, levando o presidente Marcelo Sant’Ana a assumir que foi uma contratação equivocada. Desta vez, o governador do Bahia mudou seu pensamento, diante das poucas opções no mercado, repetiu diversas vezes não ter pressa para buscar outro comandante e resolveu ir caminhando e levando com Preto Casagrande que, pelo andar da carruagem, tudo indica que será mesmo efetivado.

O diretor-executivo do clube, Diego Cerri, falou a respeito dos planos da diretoria para o segundo turno da competição e deu a entender que Preto Casagrande é o treinador do Bahia para o restante da temporada. Veja abaixo:

Bahia vai contratar um técnico ou irão apostar no Preto Casagrande?

Hoje, Preto é o nosso técnico. Não estamos pensando em nenhum nome e não temos nenhum contato com outros profissionais. O momento é de apoiar o seu trabalho.


As duas mudanças de treinadores atrapalharam o planejamento?

O Bahia sempre prega a continuidade. Não gostamos de trocar treinadores e não achamos isso o melhor, mas algumas situações fogem do nosso controle e mudanças precisam ser feitas, quando não há mais nada para se esperar. A ideia sempre é de continuidade.

Bahia luta apenas para não cair?

O Bahia precisa sempre estar no bolo com outros times. Hoje, estamos com 23 pontos. Com mais quatro pontos, estaríamos lá em cima, e com menos quatro pontos, embaixo. Então, são situações que podem mudar. O Bahia tem condições de buscar resultados melhores.

Qual a projeção para o segundo turno?

É difícil fazer uma projeção. Precisamos trabalhar jogo a jogo. Começando neste domingo contra o Atlético-PR.