Bahia e Vitória times de grande porte? Ah, isto depende!

Logo depois das declarações do presidente do Bahia direcionadas ao jogador Petros, do São Paulo, que afirmou ser o Bahia um time menor, iniciou-se por aqui através dos colaboradores uma autêntica discussão sobre o tema. 

Inicialmente com o texto do Marcelo Torres de Brasília, que não endossou a postura do presidente tricolor ao confrontar o jogador atacando outros clubes, inclusive o Esporte Clube Vitória, que não tinha nada haver e entrou de gaiato na história, logo depois, o Lourival de Paulo com a veemência e independência de sempre, pediu uma reflexão mais apurada para se saber de fato, qual é o real do tamanho da camisa do Bahia, se G, M ou P, por outra via, e uma via completamente contrária, o tricolor Mauricio Guimarães Moura Costa, foi capaz de convencer não apenas aos leitores, como também o psicanalista que o Bahia era não tão somente grande como gigante.

Não satisfeito, o tricolor Lázaro Sampaio, lembrou da participação do Bahia no clube dos 13 onde supostamente reuniu os clubes mais importância do Brasil em determinada época, fato por que si só, já aufere ao tricolor uma condição diferenciada e por fim, o tricolor Hildato optou por entender o Bahia como um grande clube via um decreto lei, aliás, de forma legítima, afinal, o tamanho do clube pode ser medido e alcançado pela régua da paixão pura e simplesmente sem nenhum outro questionamento.

Neste domingo chegou a vez do rubro-negro Marcos Guimarães, amigo do BLOG de longas datas que decidiu por fazer uma abordagem diferente. Amanha encerramos este tema com as conclusões do torcedor Daniel Alves. 


Vamos lá:

Vamos analisar de forma relativista. Se o cidadão mora em São Paulo e é torcedor do Palmeiras, jamais este irá querer se comparar com a Ponte Preta. Sequer com o Santos. Certamente o Palmeirense e o Corintiano não se acham no mesmo degrau de um santista, do São Paulo sim. Assim como eles se acham superiores aos clubes do Rio de Janeiro, excetuando-se o Flamengo.

Oras, vindo aqui para o nosso curral.

Se eu moro em Salvador, torço para o Vitória, certamente não vou considerar times da minha cidade ou do interior no mesmo degrau do Vitória, excetuando aí o Bahia. Também vou me ver superior a times de Sergipe, Alagoas, Pernambuco (exceto o Sport), Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará, o restante dos Estados mais os estados do norte do país por motivos como torcida, orçamento, visibilidade no mercado nacional, estrutura interna inclusive com estádio próprio, etc, etc, etc.


Indo para outro nível:

Se eu sou espanhol, moro em Barcelona e sou torcedor do Barcelona, vou me comparar com times do BRASIL? Nenhum. Nem mesmo Corinthians ou Flamengo apesar de o Flamengo ter a maior torcida do planeta, podem pesquisar.

Então amigos. Esse debate sobre maior, menor, médio, grande, pequeno não terá fim por que sempre será relativo. É melhor e mais saudável vermos Vitória e Bahia, ordem colocada por imposição como os maiores do Nordeste/Norte seguidos de perto por Sport e com alguma distância de Santa Cruz e Náutico. O resto dos times das regiões nem de binóculo dá pra ver ou notar.


Marcos Guimarães, torcedor do Vitória e amigo do Blog.