ADEUS, SÉRGIÔ! Paysandu 0x0 Bahia

Estava ficando repetitivo o discurso. A triste de ter que aguentar os mesmo erros, todo jogo. A empáfia do treinador e as suas picuinhas (com Pittoni e ROGER – é verdade sim) podem ter custado muito caro. Mas será que acabou a viadagem da Gestão Moderna de futebol, com a demissão do treinador?

O Bahia entrou em campo desacreditado após mais uma derrota para o Vice. Na sexta colocação, com o mesmo número de pontos que o Papão, o time entrou em campo com mais mudanças e novidades na equipe. João Paulo Penha no ataque era a novidade da vez. No meio, a ausência inexplicável de Pittoni (que se fosse eu já tinha mandado S.S. a la mierda), mas os dois volantes seguraram bem o primeiro tempo. A tão questionada zaga Tricolor esteve quase perfeita. Nas laterais, Railan continua mirando zagueiros pra fazer cruzamento, Maxi segue jogando correndo sem fazer gols ou assistência e João Paulo tabelava bem com o xará. 


O jogo começava bem, com o Bahia tocando mais certo que os donos da casa e quase abrindo o placar numa boa jogada de Raylan e pro toque errado de Penha. Diferente das outras partidas, o Bahia corria. Já era uma novidade. Mas chutar a gol era o problema. Sinceramente não lembro de um outro chute correto nos primeiros 45 minutos. 

Gustavo saiu machucado e entrou Jailton. Pânico na cabeça Tricolor.Nada. O zagueirão fez o feijão com arroz e não complicou. O Bahia se defendia como se tivesse enfrentando o Barcelona, mas era só o Paysandu. O jogo seguia corrido, parecia bom, mas nenhum dos goleiros precisou suar a camisa.

Segundo tempo e adivinha: entra Souza no lugar de Paulinho. Porra, Sérgio Soares! Vá se lascar! Que paixão é essa com esse cara? PQP! Mas vamos lá. É só o Paysandu.

Com 2 minutos, o melhor jogador dos caras, o artilheiro deles, é expulso numa jogada idiota. Pensei: vamos tirar um volante, meter Roger no meio dos zagueiros e largar Maxi e Penha de pontas pra infernizar a vida dos caras… mas Roger não tava no banco. Então vai entrar Zé Roberto, né? O cara está sempre entrando nos jogos e tal. Não. Zé Roberto também não estava no banco. Mas ele não mudou nada. Pra que, né?

Mesmo com um a menos o técnico dos caras não recuou. Tirou um meia e colocou outro, ainda mais rápido. O Bahia seguiu sem criar NADA e quando o treinador resolveu trocar, entrou Jeam. Quem? Jeam não entra no jogo desde… sei lá quando. A maluquice foi tão grande que o garoto nem tocou na bola. Uma lástima que pode queimar ainda mais o jogador. 

O time de Sérgio Soares jogou 30 minutos com 1 jogador a mais e nem parecia. O Paysandu não tomou nenhum susto nesse período e ainda saia em ataques perigosos. Numa tentativa de puxar contra-ataque, Tiago Real fez a falta que a torcida deles queria. Expulsão e 10×10. A coisa está tão feia que os bicolores se empolgaram e passaram a acreditar no triunfo. 

No fim da partida, a única falta perigosa que o Bahia teve, Souza foi cobrar. Adivinha: no peito da galera da barreira. Como falei com meus amigos: Souza deveria ser PROIBIDO de chutar em gols. E ainda mais proibido de bater faltas.

Fim de papo pro Bahia e pra o treinador. Adeus, Sérgio! Obrigado pelo Baianão e só! Siga seu caminho e leve seus 12 EMPATES com você.

Agora eu pergunto: POR QUE NÃO TIROU O TREINADOR BEM ANTES, QUANDO TODA A TORCIDA PEDIU? Agora com 8 rodadas vamos rezar pra Charles fazer milagre? Pra que a presepada do presidente MARCELO III de ir à entrevista para prestigiar o treinador depois do Bavice? Incoerência, prepotência, arrogância, teimosia do presidente, que podem custar o acesso. Mas antes tarde do que nunca.

Bora Baêa Minha Porra! Ainda faltam 8 rodadas e precisa ganhar 5. Dá? Bem, se Charles for Charles, dá. Se ele for somente dar continuidade ao trabalho de SS…

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*