Capitão decide, Bahia vence o Paraná e assume a liderança

No reencontro com o seu torcedor, Bahia entrou em campo para encarar o Paraná de olho na liderança da Série B. Desfalcado dos artilheiros Maxi e Kieza (ainda em recuperação) e do volante Souza (suspenso), o técnico Sérgio Soares optou pela entrada do meia Eduardo, mas, logo na sua estreia, o jogador não deu sorte e aos 5 minutos saiu de campo de maca dando lugar ao contestado e novo “candidato” à talismã Willans Santana.  

O Bahia entrou em campo desatento, tomou uma pressão inicial do Paraná e deu vários sustos na torcida, inclusive, obrigando Douglas Pires a trabalhar cedo. Depois até conseguiu controlar o jogo e manter uma certa posse de bola, mas errava muitos passes e não fazia uma grande partida. Porém, a sorte também faz parte do futebol. Aos 19 minutos, falta na entrada da área, o lateral Marlon soltou um foguete e o goleiro Murilo Prates deu rebote nos pés do capitão Titi que só teve o trabalho de estufar as redes da Fonte. 

O Paraná não se intimidou e chegou várias vezes com perigo em bolas alçadas na área. Apesar dos 52% de posse de bola, o Bahia não se encontrava no jogo, entretanto, novamente a sorte bateu na nossa porta. Aos 38, Léo Gamalho tentou cruzamento e Fernandes meteu a mão na bola. Pênalti claro. Quando o próprio Gamalho se preparava para cobrança, pensei “SE fizer, mata o jogo”. Pois é, mas o “Samurai” tentou imitar o “veneno” Djalminha dando uma cavadinha na bola e mandou por cima do gol. Que saudade do Souza! E o primeiro tempo ficou apenas no 1 a 0.

A segunda etapa começou truncada, muita correria e pouca chance de gol para ambos os lados. Enquanto o Paraná tentava surpreender nos contra-ataques, o Bahia segurava a bola e trocava passes tentando penetrar no ferrolho armado pelo técnico Nedo Xavier. Aos 15 minutos, Tony foi acionado em posição legal e deixou Zé Roberto livre para marcar, mas o bandeira marcou impedimento que não existiu. 

Mesmo com a expulsão do lateral Danilo Baia, o jogo seguiu dramático e perigoso. O Bahia tinha mais tranquilidade para pressionar em busca do segundo gol que fecharia o “caixão”, o Paraná se segurava de qualquer jeito com os 10 homens atrás da linha do meio campo. Aos 37, outro pênalti claro, mas dessa vez o juiz não marcou a mão na bola do jogador paranaense. Apesar da posse de bola e da quantidade numérica em campo, o Tricolor pecava no último passe e na hora da conclusão. No fim, ainda deu tempo do volante Pittoni ser expulso após fazer falta e levar a segunda chapa amarela, mas ficou nisso mesmo, 1 a 0, mais três pontos na conta e a liderança provisória da Série B. 

Jogando feio ou bonito, o importante é pontuar. BBMP!   

Fellipe Costa

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*