Bahia sai na frente, perde muitos gols e cede o empate

Buscando o retorno á elite do futebol brasileiro, o Esporte Clube Bahia deu o pontapé inicial na Série B, campeonato que requer mais transpiração e raça do que técnica, e isso foi mostrado neste sábado, na partida contra o América-MG, no Estádio Independência. O técnico Sérgio Soares não titubeou e escalou força máxima, com exceção do volante Souza, poupado. Com isso, Patric assumiu a lateral-esquerda e Bruno Paulista foi deslocado para o meio de campo.

Como já era esperado, o jogo começou pegado, com muita correria e oportunidades para ambos os lados, mas foi o Bahia quem abriu o placar, aos 9 minutos, méritos totais a Zé Roberto que roubou a bola na direita e cruzou, o zagueiro Wesley Matos meteu a canela na bola e jogou contra o próprio patrimônio. 1×0. O América-MG tentou reagir, mas esbarrou na falta de pontaria e na forte marcação do tricolor baiano.

Com Bruno Paulista deslocado para o meio de campo, o Bahia foi outro time, marcação forte e saída de bola rápida. A defesa se postou bem, e a única vez na primeira etapa que o Coelho levou perigo esbarrou na boa defesa do goleiro Jean. Apesar da consistência defensiva, faltava eficiência ao ataque. O Esquadrão chegava com facilidade e poderia ter ido para o intervalo com um placar mais confortável, se o arqueiro João Ricardo e a trave não parassem os chutes de Tiago Real e Maxi.

O atacante Kieza, com dores na coxa, foi substituído no final do primeiro tempo, para entrada de Willans. No início da segunda etapa, mais uma perda, Tony sentiu e deu lugar a Yuri. O Bahia sentiu o desgaste, cansou e deixou o América-MG assumir o controle do jogo. Os gols perdidos fizeram falta. O Coelho cresceu, pressionou e conseguiu o empate num contra-ataque rápido aos 20 minutos, com Mancini, aquele mesmo que teve uma passagem apagadíssima pelo tricolor, recebendo livre na entrada da área e mandando forte no canto do goleiro Jean. 1×1.

O Esquadrão definitivamente sentiu o desgaste, jogou dentro do seu limite, perdeu dois jogadores importantes dentro do contexto do jogo, Kieza e Tony. Willans não entrou bem (mais uma vez), totalmente fora de sintonia, não acertou quase nada. O América seguia em busca da virada, enquanto o Bahia apostava nos contra-ataques, na maioria delas esbarrou no goleiro João Ricardo, que fez uma excelente partida e segurou o empate por 1 a 1. 

Deixe seu comentário

1 Trackback / Pingback

  1. replicas mido watches

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*