Bahia não joga nada, mas vence o Paraná e lidera

O Bahia não foi o mesmo hoje à noite na Arena Fonte Nova contra o Paraná Clube, no entanto, se não fez uma boa partida, fez o que importa quando aplicou a regra simples de somar, conquistando os três pontos e segue fazendo o que dele se espera no Campeonato Brasileiro de acesso que são os triunfos, sobretudo em todas as partidas realizadas em Salvador. Destaque positivo para a presença de 20 mil torcedores tricolor em uma partida onde o único apelo era o próprio Bahia e em noite de sexta-feira.

Já o destaque negativo fica por conta pela falta de compromisso do atacante Léo Gamalho por jogar fora uma penalidade máxima, não por um erro comum e ocasional e compreensivelmente normal de qualquer jogador e sim por pura VIADAGEM!

Os primeiros 20 minutos de Bahia e Paraná Clube foram esquisitos. O Paraná que desembarcou em Salvador com a fama de morto pela crise interna que vivencia, engrossou o caldo jogou de igual para igual e até criou duas grandes oportunidade de gols, enquanto o Bahia não repetia nem de longe ou de perto as boas atuações dos jogos anteriores. Ainda assim, em um lance isolado e através de um rebote de bola de falta batida por Marlon, o zagueiro Titi abre o placar por 1 x 0. No entanto, a vantagem no placar não transformou o Bahia melhor em campo.

O Paraná continuou melhor em campo, deve chances de empatar, mas foi novamente o Bahia que teve oportunidade de movimentar o placar através de penalidade favorável ao Bahia que o atacante Léo Gamalho naquela autentica V-I-A-D-A-G-E-M, (reitero) em enorme d-e-s-c-o-m-p-r-o-m-i-s-s-o com o clube, resolveu bater via uma “cavadinha” e pica a bola no mato mantendo um jogo que se apresentava difícil e contra um adversário melhor naquele momento pelo placar mínimo em nome de um banho de seiva de alfazema da baixa dos sapateiros no seu ego. Ah, o time? Que se foda! 

No segundo tempo não mudou absolutamente, o time paranaense manteve o jogo controlado, não criou a quantidade de chances como no primeiro tempo, no entanto, amarga uma derrota não merecida em um segundo tempo se arrastou até o seu final sem que o Bahia oferecesse qualquer lampejo de um bom futebol, mas ainda assim mostrando um futebol pobre soma três pontos importantíssimo quando considerado o que importa, faz descer ou subir que é a tabela de classificação.

Com o resultado, o Bahia assume em caráter provisório, a liderança isolada do Campeonato Brasileiro da Série B, agora com 10 pontos, obra e fruto de três vitórias e um empate. Contudo para manter a direção da competição, o tricolor precisa torcer que Náutico não derrote o Sampaio Corrêa em São Luiz (ou que o mesmo Sampaio Correa não aplique uma goleada no Náutico) Outro que pode remover o Bahia do primeiro lugar, é o Botafogo, isto na hipótese improvável de uma goleada de 4 x 0 cima do Esporte Clube Vitória. Em contrapartida, um triunfo rubro-negro neste mesmo cenário garante o Leão na vice-liderança, o que seria ótimo para o futebol baiano.

O novo compromisso do Bahia acontece na próxima terça-feira quando no Estádio Cláudio Moacyr de Azevedo, na cidade de Macaé, no Estado do Rio de Janeiro, encara o time do mesmo nome da cidade às 19h30. Neste jogo, seguramente o Bahia deverá ter os retornos de Maxi, Kieza e Souza, no entanto, não terá a presença de Wilson Pittoni que recebeu nesta noite o terceiro cartão amarelo e depois expulso.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*