Arena lotada, garotada inspirada e festa para gringo ver

Em tour de 20 dias pelo Brasil, o Shakhtar Donetsk começou seu “torneio” no país pela cidade de Salvador, terra boa, de muita festa, música e futebol. Só pra lembrar, o Bahia não fazia um amistoso contra um time europeu há 40 anos, quando venceu o Ferroviário Sarajevo, da antiga Iugoslávia, por 1 a 0, em 1975. 

Jogo amistoso, mas com cara de final de campeonato. Muita correria e bola na rede. Empurrado pela torcida, o Bahia, recheado de promessas da base, deu um espetáculo na noite desta sexta-feira, na Arena Fonte Nova, e começou o ano com o pé direito, vencendo o Shakhtar por 3 a 2.

A festa começou antes da bola rolar, com a apresentação do experiente zagueiro Chicão. Estava ansioso para ver o Tricolor Versão 2015 em ação, e a primeira impressão é a que fica. Time ofensivo, com boa marcação e saída de bola rápida. Com a bola rolando, o Bahia não se intimidou frente ao time ucraniano. Apesar de estar ainda em pré-temporada e o Shakhtar no meio da temporada, o Tricolor dominou boa parte do jogo, e mostrou boa movimentação. 


Ainda é cedo para se empolgar, mas, sem ilusões, gostei muito do que vi em campo e torço para que essa garotada dê certo no Esquadrão, afinal de contas, a divisão de base é a maior glória de um clube, dela saem grandes jogadores, que vestem a camisa com raça, e podem render bons ‘frutos’. 
           

Os gols foram todos de brasileiros. O meia Rômulo, de falta, abriu o placar. Alex Teixeira empatou, e Luiz Adriano virou o marcador. Mas no segundo tempo brilhou a estrela do iluminado Zé Roberto. O jovem atacante entrou no lugar de Kieza, marcou duas vezes e garantiu o triunfo para o Tricolor da Boa Terra.

Fellipe Costa

Autor(a)

Fellipe Costa

Administrador e colunista do site Futebol Bahiano. Contato: [email protected]

Deixe seu comentário