Que a Sorte esteja do lado do E.C Bahia

Que a Sorte esteja de seu lado, Baêa, porque, ao que parece, o tricolor continuará dependendo apenas dela.

O senhor presidente não precisa que eu lhe deseje boa sorte, ele já tirou a sorte grande, porque exercerá uma função que lhe renderá US$ 150 mil dólares por ano ( incluindo o décimo-terceiro e o abono férias) – nos EUA, vou repetir, nos EUA, quantos profissionais altamente qualificados recebem isso?- sem que, através de sua experiência profissional, tenha dado provas de que têm o perfil necessário para o cargo que ocupa. Esta minha observação não deve ser tomada como sendo contra a remuneração do cargo de presidente do Clube, eu sou a favor da remuneração e não me oponho ao valor dela, apenas estou observando a sorte grande de alguém que não recebia nem 1/10 deste valor no emprego anterior e que eu não vejo como apto para o ofício.

Dizem que Marcelo é um presidente que pensa um futebol “moderno”, mas, infelizmente, os que afirmam isso nunca dizem o que é este futebol “moderno”. Não estou sugerindo que este futebol “moderno” não exista, estou apenas querendo saber o que ele é.

Outra coisa: aproveitar a base. Esta é a senha repetida todos os anos pelos que “pensam” o futuro do Bahia.

Daí eu pergunto: que base, desde a catástrofe de 1992 ou 1993? Ah, os times X ou Y usam suas bases…Tudo bem, mas não será pela razão de eles terem uma base aproveitável? Que eu me lembre, dos últimos dez anos, nos anos de 2009 e 2010 a base foi muito usada. cadê aqueles “meninos da base” que, deste período, não deram certo no Bahia por “impaciência da torcida”, eles andam por onde?

Está mais do que na hora de os torcedores que falam das “bases” dizerem os nomes com sobrenomes dos “meninos da base ” que prestam e de dizerem onde estão os “meninos da base” que foram “expulsos do Bahia pela torcida”( espero que não seja citado apenas Daniel Alves…). 

Com relação à atualidade, será que estão tomando como referência os campeonatos baianos das categorias deste ano? Lamento dizer, mas os rivais podem rir a vontade desta pretensão, porque estes campeonatos eles lideram com folga, nos últimos 20 anos, mas, graças a Deus, isso não transformou a trágica história deles dos últimos 120 anos. Logo, os defensores “incondicionais” da base devem mostrar que eles têm razão, porque fica feio gente adulta( ou que deveria ser adulta) falar de coisas e não mostrar as provas empíricas do que falam.

Dinensen

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*