O Leão é CAMPEÃO.

Ser campeão é maravilhoso. Ganhar e arreganhar o rival por tabela, então, nem se fala.

Hoje eu vi meu time ser campeão baiano e tomar de volta a hegemonia que é nossa, por merecimento, nas últimas décadas. Foram 18 títulos dos últimos 30 disputados, incluindo aí 2 tetra-campeonatos. E diga-se de passagem, a grande maioria destes títulos (12, para ser exato) sobre o time da região metropolitana.

Contra fatos não há argumentos. Mas, não me perguntem o porquê, hoje eu não comemorei o título como deveria. Acho que foi a vitória estupidamente convincente da semana passada. Já tínhamos ganho os dois JA X VIs da fase de grupos. E com direito a uma sonora goleada na lavagem da Arena 51. Pensei: dá para ganhar, mas não imaginei que iria humilhar.

E aconteceu: a Arena novamente mudou de nome novamente. Virou AVENIDA 7. E hoje, foi só fechar o caixão e correr para o abraço. E fica uma pergunta no ar: este time é bom para o brasileiro? Alguns torcedores do time da região metropolitana diriam que sim, já que golearam, por mais de uma vez “o time foi  que foi o 5.º colocado da segunda fase do brasileirão 2012”.

Vou responder: este time ainda carece de reforços. E graças a Deus tanto Alex e El Bigodon sabem disso (pelo menos é o que parece, pelas declarações dos dois nas entrevistas pós-jogo).

Algumas peças realmente mostraram para que vieram: Cajá foi o nome do campeonato. Escudero, Caio vive a dizer que tem uma função muito importante neste time, Luiz Albert joga muito, Cáceres idem, Michel reencontrou seu bom futebol, dos tempos do Ceará, Maxxi deixou de ser “apenas” o primo de Messi e Dinei pagou minha língua, pelo menos esta fazendo o que se espera dele: gols.

Se pararem para olhar, só citei do meio para frente deste time. Por que? Porque não confio na nossa zaga.

Fora Deola (que ainda falha muito) e Victor Ramos, não temos uma zaga confiável. Gabriel é muito afoito e os laterais também não inspiram confiança.

Mas podemos sim ter esperança de um bom papel no Brasileiro 2013. O time tem uma espinha dorsal de razoável para boa. Então vou dar a mão a palmatória: Alex Portela, DESTA vez, conseguiu fazer o que a muito os torcedores ansiavam, ou seja, acabou com o ranso que existia neste time. Ranso de sempre apostar em quem um dia já dera certo por estas bandas.

Ele (digo ele porquê se sabe que a última palavra pelas bandas do Barradão é do cara, ou seja, ele delega, mas dá o voto minerva) desta vez apostou no novo: trouxe Luiz Alberto, Renato Cajá, ousou quando trouxe  os estrangeiros Escudero, Cáceres e Maxxi, só para citar os titulares hoje. E todos mostraram serviço.

Fato raro. Ou critério. Chamem do que quiser.

Agora, espero que o time não ache que é “seleção”. Em mais de um jogo este ano eles passaram esta impressão. Achavam que ganhariam o jogo quando quisessem. Que fariam gol quando quisessem. E isto custou caro (lembram da eliminação vergonhosa da Copa do Nordeste?). Então é jogar sério, pois se não dá para ser campeão brasileiro, pelo menos quero chegar em dezembro relaxado, sem estar fazendo contas contra o rebaixamento. Deixem isto para os entendidos no assunto.

PS 1: Só para constar: foram 32.514 pagantes, para uma renda de R$ 972.630,00. Alex, pense nisso SE for negociar contrato com a Arena. Contrate bem e monte um bom time que a torcida banca. Se eles quiserem que joguemos lá, mostre este número e só aceito, NO MÍNIMO, o dobro dos sem-terra;

PS 2: Quando falei dos quase 38.000 que compareceram ao jogo, leia-se 37.450, para ser mais exato. Aí estão contabilizados as crianças até 12 anos, pessoal de apoio, policiais, convidados e repórteres, ou seja, nem todos estavam efetivamente nas arquibancadas, mas TODOS presenciaram o Leão levantar a taça.


Nos mais é comemorar.

O VITÓRIA É CAMPEÃO.


SRN.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*