A revolução não passará na televisão!

Fiquei “muito puto” com a televisão e rádios baianas, como também a imprensa nacional preconceituosa e saudosista dos velhos métodos de repressão às manifestações legítimas de protesto contra a direção tricolor  ao abafar e criminalizar a revolta popular  e denegrir a imagem da torcida do Bahia nacionalmente por meio de adjetivos que de forma alguma representam a grandeza da torcida do tricolor de aço.

Agora, peguemos o exemplo dos torcedores do Bahia, no último domingo, será que torcedores baianos e brasileiros que lançarem os tais instrumentos musicais de Brown no campo para protestar contra o custo da obra da Arena em Brasília que admiravelmente passou de quinhentos milhões para 1 bilhão sem nenhuma autoridade ter se pronunciado será qualificado como um gesto de barbárie? Quem com a Rede Globo anda, podemos dizer quem são. E dirigentes de futebol hoje no Brasil são sinônimos de adjetivos que não posso expor aqui.

Voltando para o fenômeno local. A torcida do Bahia vem sendo alvo nos últimos tempos de elogios e reconhecimento nacional justamente pela sua paixão, devoção e entrega à sua paixão incondicional, o E.C.Bahia, e não merece julgamentos sumários sem direito de resposta. Essa tentativa de desqualificar a torcida baiana tem muitos lados, um deles é a omissão da própria imprensa que alimenta tiranos na direção dos clubes, partindo muitas vezes para a agressão a cidadãos que se opõem a instauração de um tricolor limpo de arbitrariedade e do jugo de tiranos.

A revolta dos tricolores ao jogar os instrumentos de Brown no campo não visaram nenhum jogador como as imagens mostraram, como também não há ninguém que possa dizer que aquele treco de plástico inofensivo constitui uma arma. Foi absurda a cobertura e a dimensão que tomou tal fato de revolta espontânea da torcida de arremessar o instrumento musical como também qualquer ligação da torcida do Bahia com os fatos nefandos que acontecem no sudeste e sul do país de desrespeito ao público e a família.

Quero deixar claro que não estou estimulando a falta de educação e a quebra de protocolos de civilidade, mas tão somente mostrando que hipócritas estão em todos os setores e são estes que dominam o cenário da mídia e do sistema capitalista com seus discursos para inglês ver. Quero ver quando a Globo vai se pronunciar sobre a Arena em Brasília, a verdadeira imagem do desperdício de dinheiro do contribuinte.

Leia mais:


A revolta da Caxirolas – Por João Bani

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*