Bahia mais próximo da degola

O Esporte Clube Bahia completou cinco jogos sem vencer e já pode perceber a zona de rebaixamento se aproximando. A diferença caiu para quatro pontos até o momento, isso porque o Sport ainda não jogou na rodada, de forma que a diferença pode cair ainda mais. 

No mínimo preocupante, porque ainda faltam seis rodadas e o esquadrão vai precisar fazer pelo menos mais três triunfos para escapar da degola. Resumidamente, achei que o time até apresentou vontade hoje, mas ainda assim fez um jogo muito ruim, tecnicamente fraco e sem criatividade. 

O Bahia continua sentindo falta de dois jogadores importantes da formação titular de Jorginho: o atacante Souza e o meia Helder, que vinham se destacando no início do returno. Infelizmente, com Fabinho, Elias e Cleberson o tricolor não consegue produzir nada. Hoje vou focar na analise dos jogadores, um por um, para tentar resumir a percepção que tive do jogo.

Marcelo Lomba: Um goleiro importante, saiu arrojado em uma bola perigosíssima no início do segundo tempo e impediu o gol Corintiano. 

Neto: Bom lateral, importante nas bolas paradas. Mas não tem um homem de referência no ataque do Bahia para que ele cruze a bola.

Titi: Um monstro, firme. Mas assim como toda a defesa do Bahia cometeu muitas faltas, algumas desnecessárias. O Corinthians teve várias oportunidades de bolas paradas. 

Dani Morais: Já havia falhado contra o Palmeiras e voltou a falhar hoje. Cometeu um penalti infantil e mais duas faltas bobas. Uma delas na meia lua da grande área, quase aos 40′ do segundo tempo. Já pensou se alguma bola tivesse entrado Dani? 

Jussandro: Teve uma queda do seu rendimento nas últimas partidas. Também cometeu muitas faltas bobas no jogo de hoje. Em alguns momentos que exigiam tranquilidade, foi muito afobado. 

Fabinho: Sempre que o Bahia joga com ele em campo, perde muito da marcação antecipada. Ele recua muito e não tem boa saída de bola. Dessa forma, chama o adversário para cima do Bahia. O Corinthians atacou muito e algumas vezes era um bate volta que dava nervoso. 

Fahel: como sempre guerreiro, apareceu bem como homem surpresa e marcou o gol de empate. Mas não sai bem com a bola. Erra muitos passes e toma cartão desnecessário. Mais uma vez suspenso da próxima partida e prejuízo para o Bahia. 

Diones: Muito esforçado, de fato. Mas foi afoito em algumas jogadas e não é o homem que deve ser mentor das principais jogadas do Bahia. Não tem técnica suficiente para isso. 

Cleberson: muito mal, assim como houvera sido no jogo contra o Palmeiras. Não dá um bom combate e nem apoia bem o ataque.

Gabriel: Sozinho não tem como fazer milagre. Precisa jogar com alguém que ajude. Como sempre foi um dos homens mais perigosos do Bahia, mas também não criou nenhuma grande coisa 

Elias: Esforçado, mas cabeçudo. Como “mata” jogadas de ataque, não sabe o que fazer com a bola em jogadas que poderiam “dar reggae”, se é que vocês me entendem. 

Zé Roberto: Continua da mesma forma. nada faz de significativo. Foi para o banco porque mereceu. Mas nem assim entrou bem. 

Rafael Gladiador: Perdeu o gol do triunfo aos 46 minutos do segundo tempo, quando da cobrança de escanteio de Gabriel. Não tem sido uma boa referência de ataque quando entra. 

Vitor Lemos: Segurou bem a onda ali nos últimos minutos, mas nada que chame atenção.

O Bahia não foi bem, minha nota para o comportamento do time seria um 6,0, sendo generoso e considerando a vontade de alguns jogadores. 

Jorginho precisa acertar o time, pois terá confrontos difíceis e decisivos pela frente. Os jogadores precisam voltar a ficarem “online”. É na reta final que todo mundo busca o algo a mais.

O Bahia precisa mostrar o seu algo a mais urgente. 

Vinicius 

Deixe seu comentário