Roger provoca o time do Bahia

Seria normal o desespero de alguns jogadores do Cruzeiro em torno da possibilidade do Bahia facilitar o jogo contra o Ceará, caso o time mineiro não dependesse de suas próprias pernas para se manter na Série A do Brasileiro de 2012.

Em outras palavras, a repercussão e, principalmente a declaração de alguns jogadores da Raposa mostram que os próprios têm dúvidas se a equipe de Vágner Mancini terá força para superar o rival Atlético na última e decisiva rodada da competição.

Pra que tanta agonia se basta ao Cruzeiro vencer seu próprio jogo? Estariam os jogadores e comissão técnica assinando o próprio atestado de óbito, mostrando que não têm forças para lutar sozinho contra a queda para a Segunda Divisão? Essa pergunta certamente só será respondida no domingo, a partir das 17h, horário programado para a bola rolar em todos os dez jogos do Campeonato Brasileiro.

Mas é certo que as provocações, principalmente vindas do lado cruzeirense, não estão agradando em nada a torcida do Bahia, que sente de perto as ofensas contra o seu time. Primeiro foi a vez de Guilherme Mendes, diretor de comunicação do clube de Minas Gerais afirmar que a luta do Bahia por vaga na Copa Sul-Americana, é para um clube nordestino o mesmo que o Cruzeiro conquistar uma vaga na Taça Libertadores da América.

Ontem, o meio-campista Roger, que para muitos não passa de um ex-jogador em atividade, provocou e disse que “cada um abre as pernas da maneira que gosta”.

O mais interessante nesta história é que por parte da direção do Bahia, através do presidente Marcelo Guimarães Filho, já foi dito que o tricolor vai jogar pelo triunfo, em busca da vaga na Sul-Americana. Como isso não é suficiente e quem tem boca fala o que quer, os comandados de Vágner Mancini preferem pagar pra ver. (E.I)

Deixe seu comentário!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*