Bahia 0 x 1 Vitória: A história se repete!

Já estava me preparando para escrever algumas poucas linhas em um novo post para lembrar, justamente, o que acabou de publicar no seu BLOG o jornalista Rafhael Carneiro, caneteiro da melhor qualidade, que escreve para a Tribuna da Bahia, Jornal da Metrópole, e recentemente para o Portal Arena Nordeste.

O problema do Bahia os números mostram, além do time limitado, está também na incapacidade de fazer do estádio de Pituaçu a sua casa, como fez na época da Fonte Nova e como faz o Vitória no santuário na Rua Arthemio Valente, ainda sem número. Todos sabem, mas nunca é demais lembrar que, 2011, é o terceiro ano, um atrás do outro, que o Bahia amplia a vantagem do Vitória, jogando no que deveria ser seus domínios, dificultando o que naturalmente já era complicado. Confira outros detalhes do BA x VI, e novas impressões do jogo realizado nesta tarde, em Pituaçu

Primeiro jogo da final do Campeonato Baiano de 2009: Bahia 1×2 Vitória. Segundo jogo: Vitória 2×2 Bahia. Primeiro jogo da decisão do Estadual de 2010: Bahia 0×1 Vitória. Segundo jogo: Vitória 1×2 Bahia. Primeira partida da semifinal de 2011: Bahia 0×1 Vitória. Segunda partida: ?

A história entre Bahia e Vitória em jogos decisivos do Campeonato Baiano vai se repetindo. Pelo terceiro ano consecutivo o Vitória vence o primeiro Ba-Vi, em Pituaçu, e amplia a vantagem.

Em 2010 e 2009 o Bahia precisava vencer por dois gols de diferença e não conseguiu. E, pelo que as duas equipe apresentaram, a história tem tudo para se repetir este ano.

O Vitória não é nenhuma maravilha. O time é limitado, não tem um meia de ligação e ataca na base da ligação direta entre a zaga e o ataque. Apesar disto, o rubro-negro consegue ter um conjunto que faz a diferença em momentos decisivos.

Esta, aliás, é a maior diferença em relação ao Bahia. Alguns jogadores demonstram ter vontade, mas falta conjunto. O time mais se parece com um bando em campo.

Na base da vontade e dos erros do zagueiro Léo Fortunato – que fez de tudo para o Bahia empatar o jogo – o tricolor levou perigo em alguns momentos. Mas, foi incompetente.

O único lance feliz do ataque do Bahia, o gol anulado de Souza, também se originou de um erro de Léo Fortunato, que tentou chutar e errou feio, o que tiraria a posição de impedimento de Zezinho.

Com um Bahia “morto” em campo, o Vitória teve a chance de liquidar a semifinal. Mas, não o fez. Para domingo, o rubro-negro vai manter seu estilo e o Bahia não tem grandes perspectivas de mudança. Assim, o filme dos dois últimos antes tende a se repetir no Campeonato Baiano.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*