Vamos Bahêa, rumo à série A.

Esporte Clube BahiaDois fatos chamaram a minha atenção nos dois últimos jogos que o Bahia realizou fora de casa. Na verdade, foram duas declarações que mostraram o quão atento os adversários estão na forma de jogar do Bahia. Uma do técnico do São Caetano, que enalteceu os laterais Ávine e Jancarlos. E outra declaração de um jogador do Figueirense, quando o mesmo afirmou que para vencer o Bahia, era preciso anular as laterais do tricolor, caso contrário, as chances eram muito poucas.

Eis que Jancarlos se machuca no jogo contra o Náutico e o Bahia se fragiliza, perdendo para o forte time do Figueirense. Motivo para se preocupar? Sim, com toda certeza. Anular um lateral, no caso Ávine, é mais fácil do que anular dois. Não podemos dizer que a ausência de Jancarlos não vai afetar o time. Sem querer ser pessimista, mas devo dizer que é possível uma queda de produção da equipe, uma vez que todos os demais times estão ligados na forma de jogar do tricolor.

Nesse momento, nossa porção técnico surge. Penso que quando Jancarlos não joga, o Bahia perde menos se entrar com Vander, jogador que gosta de ir na linha de fundo e funciona como um ponta direita, prendendo mais a defesa adversária e evitando sobrecarga de trabalho no lado direito de defesa, fragilizada pela saída de Jancarlo. Foi assim contra o Sport, na Ilha. Arilton não comprometeu porque Vander caiu muitas vezes pela direita. Mas tudo bem. Rendo-me à posição de torcedor, até porque confio no trabalho de Márcio Araújo.

Mas existem dois fatores muito fortes para termos grandes esperanças. Um fator é o técnico Márcio Araújo, que terá a oportunidade de colocar em prática todo seu conhecimento do futebol. O cara tem visão e tenho certeza que deve estar atento a tudo isso, até porque Jancarlos não é o único desfalque, mas também Bruno Octávio, outro grande jogador, com boa qualidade no passe.

O segundo fator diz respeito à motivação. Os jogadores do Bahia sabem e entendem que a série A está muito próxima. Temos quatro jogos em casa que podem decidir o acesso do tricolor de aço à elite do futebol. Soma-se a isso, a torcida fiel e fanática, que não faltará com o time nas últimas rodadas.

Cada jogo é decisivo e acreditar é preciso. Não podemos entrar na onda de desconfiança por causa da derrota contra o Figueirense. Esse jogo ficou para trás. Temos outros mais importantes para nos preocuparmos. Vencer o ASA, por exemplo, diminui a distância da série A. É preciso pensar em cada jogo, um por vez. Pensar que cada triunfo significa um passo à frente. E que uma derrota ou empate não pode ser encarado como fim do mundo. Eu acredito, e você? Vamos Bahêa, rumo à série A.

Vinicius Sampaio

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*