Caso Júnior: Jogador do Vitória é absolvido

O Vitória se deu bem e escapou de denúncia por escalação irregular do atacante Júnior. E o jogador também pôde comemorar. Denunciado por não possuir documento que o habilitasse a atuar no exterior, no período em que ficou fora do país, o “Diabo Loiro” foi absolvido de forma unânime. A sessão da Quarta Comissão Disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) aconteceu na tarde desta quinta-feira, dia 8 de Julho.

Responsável pelo inquérito – aberto após denúncia do Goiás, adversário do Vitória nas oitavas de final da Copa do Brasil -, o auditor Alexandre Quadros, integrante do Pleno do STJD, acusou o atacante de não obter junto à CBF o Certificado de Transferência Internacional, que o habilitaria para atuar nas equipes europeias que defendeu entre os anos de 2003 e 2010. O Vitória, para onde o atleta se transferiu no início do ano, não foi responsabilizado por utilizar jogador irregular, uma vez que a transferência teve o aval da CBF.

Júnior respondeu ao artigo 191 II (deixar de cumprir, ou dificultar o cumprimento: de deliberação, resolução, determinação, exigência, requisição ou qualquer ato normativo ou administrativo do CNE ou de entidade de administração do desporto a que estiver filiado ou vinculado) do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD). A pena é de multa que pode variar entre R$ 100 e R$ 100 mil.

Os auditores solicitaram que Júnior prestasse depoimento para esclarecer o caso e explicar o que, de fato, aconteceu no tempo em que atuou fora do Brasil. “Fui emprestado para o clube da Inglaterra, em agosto ou setembro, até o fim da temporada, em maio seguinte. Mas rescindi o contrato com o Treze/PB porque meu empresário teve uma briga com o clube e tirou os jogadores de lá. Saí da Inglaterra e peguei um voo para Campina Grande. Chegando lá, acertei a rescisão e voltei para a Inglaterra, assinando outro contrato com o clube inglês”. O clube inglês citado pelo atacante é o Derby County. Júnior explicou ainda que em nenhum momento entregou documentos aos clubes, e que não caberia a ele fazê-lo.

Ao sustentar da tribuna, a advogada do Vitória, Patrícia Saleão, alegou que é impossível o atleta firmar contrato em uma federação estrangeira se não tiver o certificado de transferência, defendendo que o documento foi, sim, emitido em favor de Júnior. A defensora, em seguida, pediu a absolvição do jogador

Como não foi denunciado, o Vitória não corre qualquer risco de perder a vaga na decisão da Copa do Brasil, diante do Santos, ou mesmo ficar sem o atacante para os jogos finais. Assim, o time segue se preparando para os jogos contra o time paulista, que acontecem no dia 28, na Vila Belmiro, e no dia 4 de Agosto, no Barradão. Com informações do site Justiça Desportiva.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*