Assembléia não delibera nada no Bahia

O Presidente do Bahia encerrou a sessão que deveria reformar o Estatuto do clube para discutir entre opositores e situacionistas uma divergência sobre a votação das emendas; o texto base seria votado em primeiro lugar e só depois seriam votadas as emendas.

O problema começou com a não conformidade da mesa diretora dos trabalhos em ler o texto base. Lógico que ninguém queria assinar um documento sem saber seu conteúdo.

Ademais, para a perfeita lisura do pleito, era necessário a leitura do novo Estatuto uma vez que isto garantiria aos sócios presentes a certeza sobre o documento divulgado anteriormente, não foi disponibilizado nada no site oficial, e o que estaria sendo aprovado.

Alguns integrantes da oposição ainda exigiram que a lista dos sócios aptos a votar fosse disposta sobre a mesa, pois havia a suspeita de que 40 nomes haviam sido acrescentados na lista irregularmente.

Outros também queriam entender porque não haviam urnas nas dependência do clube. Muitos queriam saber como se chegaria a contagem definitiva dos votos, já que habitualmente em votações de assembléias os votos são contabilizados de maneira quaser informal na base do “senta e levanta”.

Deixe seu comentário