Renato Gaúcho volta para assumir o Bahia

Foto Renato GaúchoO motivo é justo e completamente compreensivo, entretanto, não há como negar que a ausência do treinador, Renato Gaúcho, por tantos dias numa semana que antecede um domingo de clássico, pode complicar a preparação do Bahia; ainda que pese, sabermos que os problemas que afligem o Bahia vão além da simples preparação de campo com a presença, ou não, do técnico Renato Gaúcho.

A edição da Tribuna da Bahia desta quinta-feira, publica os “pulos” que a direção tricolor pretende saltar para sanear os eternos problemas financeiros, entre eles estão: dinheiro da Petrobrás e OAS, renovação do contrato de patrocínio com as lojas Insinuante e até a venda de parte dos direitos federativos do jovem atacante Wilson Júnior, confira!

O técnico Renato Gaúcho é esperado esta manhã em Salvador, para assumir à tarde, no Fazendão, os trabalhos do time do Bahia visando o clássico de domingo, contra o Vitória, no estádio do Parque de Pituaçu. Dentro da promessa dos dirigentes à Comissão Técnica, o clube acertou o pagamento do salário de dezembro e gratificações aos jogadores remanescentes de 2009, e antes do Ba-Vi deve acertar com o grupo, e o treinador, o pagamento do salário de janeiro.

O técnico do Bahia estava desde domingo à noite no Rio Grande do Sul, onde foi acompanhar o sepultamento da sua mãe, Dona Maria Portaluppi, que tinha 73 anos de idade. Antes da viagem, o treinador cobrou da diretoria a solução dos problemas financeiros do Departamento de Futebol.

O Bahia vai utilizar o dinheiro das empresas que estão patrocinando o clube, a Construtora OAS, a Petrobras, e a mais recentemente do Grupo Insinuante. O departamento de marketing fechou o patrocínio para as mangas das camisas de jogo até o final de 2010 com a Rede de Lojas, uma das maiores do país e de origem baiana.

Além das mangas das camisas, a Insinuante também terá sua marca em outras propriedades do clube, além de ações promocionais desenvolvidas em conjunto com o marketing tricolor.

Na ânsia e até necessidade de se “fazer dinheiro” no Fazendão, não só para atualizar salários do Departamento de Futebol, mas para quitar débitos com terceiros e conseguir fazer “rodar a máquina tricolor”, o clube está fechando com um grupo de empresários a venda de 50% dos direitos federativos do atacante Wilson Júnior, de 18 anos, destaque do time baiano na Copa São Paulo Futebol de Juniores deste ano.

A transação é praticamente “particular”, sob a responsabilidade de um grupo de empresários que vão efetuar o pagamento ao clube baiano e emprestar o jogador ao Grêmio de Porto Alegre.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*