Marcelo Guimarães Filho: O Político

Marcelo Guimarães FilhoMarcelo Guimarães “O Filho” continua mostrando que como dirigente ele continua sendo um legítimo… POLÍTICO.

Como se não bastasse ter errado, e admitido o erro depois, ao contratar no início do ano Paulo Carneiro como gestor de futebol do Bahia, “O Filho” repete a origem do erro novamente ao contratar Renato Gaucho como treinador.

A origem do erro é exatamente a mesma. Paulo Carneiro tripudiou do Esporte Clube Bahia durante toda a sua vida. Xingou, esbravejou, saiu na mão… enfim. Fez coisas que qualquer pessoa em sã consciência jamais perdoaria. “O Filho” não só perdoou como chamou pra trabalhar junto. Afinal, ele é competente. Saiu pelas portas dos fundos do Vicetória. Deixou o clube na terceirona. E os que eram contra a sua contratação, no seu tradicional estilo Paulo Carneiro de ser, eram chamados de provincianos.

Agora, o tal Renato, que chamou a todos nós baianos (inclusive “O Filho”) de índios, de maneira pejorativa lembrando o “provinciano” de Carneiro, também é contratado, por valores não divulgados, pelo político tricolor. Afinal, ele é competente. Derrubou o Vasco, tentou derrubar o Fluminense, e está saindo pelas portas dos fundos do Rio de Janeiro, sendo obrigado a mudar de tribo.

Vem pra Bahia. Vem PRO Bahia.

Talvez eles estejam certos. Estamos dando a prova cabal que não passamos de índios provincianos e irracionais (mais um adjetivo que Carneiro deu aos tricolores em rede nacional). Babando quem nos maltrata. Comprando qualquer capa de livro que nos empurrem goela abaixo, sem nos preocuparmos com o seu conteúdo.

E assim o Político vai trilhando o seu caminho. Passando uma borracha no passado sem dó nem piedade. Deixando a história vitoriosa de um clube nas mãos de antigos vilões. Renato e Carneiro são faces da mesma moeda.

E a notícia foi dada no twiter. Passou na Globo, na ESPN, na SporTV. “O Filho” está feliz. “O Filho” está na mídia. E essa conta? Quem vai pagar? Um cocar pra quem adivinhar…

Por Ruy Barreto

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*