Enfim, a hora da fenix chegou

Nem tudo está perdido, ainda, mas o que o Bahia vem passando é exatamente o que pregamos por alguns anos sucessivos. Eu não! Lembram, a tal reivindicação de dar um passo atrás para depois darmos dois adiantes, aquela velha história mitológica tão defendida aqui, não faz muito tempo. Petrônio foi ontem… A tal Fênix da mitologia grega também evocada por boa parte da imprensa baiana. Pronto, agora é a vez!

Como dizem os indianos da novela das oito, palavras o vento leva, elas vão e voltam, aí está à oportunidade que nossos intelectuais do futebol tanto queriam, se o ‘passo atrás’ está chegando agora, um pouco atrasado talvez, de forma desprogramada, mas não deixa de ser um passo atrás, negócio agora é escolher a catapulta certa para o ensejado dois passos à frente.

Foi uma ousadia muito grande essa de Marcelinho, trazer Paulo Carneiro para dirigir o futebol do Bahia, não que o moço não estivesse credenciado, mas por conta dos inimigos que se afloraram muito mais agora dentre os já tradicionais que se pelavam de medo da possibilidade de um bom trabalho do seu principal desafeto, botando na berlinda todos os esforços desses últimos anos.

Alguns desavisados tricolores incorrem nessa premissa de que Paulão chegou para afundar o tricolor. Esses não merecem crédito e suas palavras ao vento certamente serão dissipadas sem muitas guaridas na história, são muito vazias para encontrar coro dentre os homens de bem.

Essa é a vez do Bahia dar a volta por cima, se é que ainda é possível. Como torcedor fervoroso ainda acha que o Bahia ganhará do Figueirense e parte com tudo vencendo uma a uns todos os outros concorrentes da Série B, passando para a história o feito mais importante da sua história. Ainda tenho, pelo menos até sábado, como sonhar com isso, vamos ver!

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*