O Bahia tem nome e renome

Danem-se as pranchetas, quero um Bahia mais ofensivo. Um Bahia louco e com uma faca entre os dentes para machucar o adversário. O respeito deixo para depois do jogo. Queremos um Bahia agredindo o tempo todo, não queremos passes para o lado, queremos lançamentos profundos e jogadores correndo em direção ao gol.

Não adianta botar tanta gente no meio se não temos criatividade. O meio de campo é o espaço das oportunidades e da ligação para os atacantes. Para quê marcadores onde precisamos de mais criatividade? Quero diferenças expressivas na minha linha de frente, onde os mais sedentos para rasgar a rede adversária com gols possam finalmente executar o papel de carrasco do adversário.

O Bahia não é um time burocrático, o Bahia é time de doidos que querem o adversário completamente abatido e caído no campo, palco onde os fracos de espírito não tem vez. O Bahia tem nome e renome. Bahia significa axé para o futebol: pura energia irracional e contagiante. Não adianta dotar o Bahia de esquemas burocráticos onde o Bahia deve ser livre e solto para que nos gramados de futebol haja vestígios de que por ali passou um monstro concebido pela sua torcida para espremer e machucar qualquer adversário.

Ficar esperando não é saber para o Bahia. Nosso tricolor deve sempre amedrontar os adversários olhando fixamente os infelizes que ousam nos afrontar. Não temos medo de nada, somos a turma tricolor vibrante e absolutamente cega de paixão pronta para endoidar quem ousa cair no alçapão. Por isso, meu rei, não venha com futebol burocrático no nosso templo, o sagrado Parque Ecológico Monumental de Pituaço.

O Diabo já tentou vencer o Bahia, mas o Bahia é mais forte e se libertou. Agora, voltamos com nosso futebol que cospe fogo para o bem de nossos próprios demônios libertos do bem dos fracos. Estamos certos de nossa convicção libertária de futebol para louvar técnicos embeberes. Não quermos jogadores traíras nem funestos dirigentes amantes de sua própria fortuna. Queremos raça! Enquanto nos fracos tal palavra é feia, na nossa carne de paixão pelo tricolor é pura tradição. Nossa tradição de ganhar na raça e tirar resultados onde ninguém previa é a mais profunda verdade do nosso Baêa, minha porra!!!

Maurício Guimarães

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*