Nossa arma é o controle remoto!

É inegável a superioridade de elenco, estrutura, e títulos dos time do eixo Rio-São Paulo-Sul, denominado “carinhosamente” por nós, nordestinos, de “Sul Maravilha”.

Mas na imprensa, o que qualquer telespectador busca é imparcialidade e equilíbrio, principalmente no jornalismo e no esporte. Atualmente, nas grandes redes de TV, paga ou aberta, imparcialidade e equilíbrio na cobertura são duas ausências claríssimas. A Globo, principal rede de TV do País, nos dá demonstração diária destas ausências. Enquanto que em São Paulo e no Rio de Janeiro uma simples lentidão no transito é motivo de notícia, as cidades do Nordeste (inclusive as capitais) só são notícia quando acontece algum crime bárbaro ou algum caso de corrupção política. No Futebol não é diferente. A ‘“Venus platinada” nos enfia “guela abaixo”, há décadas, transmissão de jogos dos times do “Sul Maravilha, notadamente do Flamengo e ultimamente do Corinthians. No caso do Corinthians, desde o anuncio da contratação de Ronaldo, que até treino do ‘timão” virou tema de matéria especial e tudo.

Está em vários sites da Internet que o técnico Nelsinho Batista, do Sport de Recife, está se queixando da mídia. Segundo ele, a vitória do Leão Pernanbucano contra o Coco Colo do Chile, na estréia, só foi valorizada pela mídia depois que o time chileno deu um baile no Palmeiras em São Paulo. A lógica foi simples: Se o Coco Colo ganhou do Palmeiras e perdeu do Sport, então a vitoria do Sport foi reprentativa. Esquecem a mídia sulista que ano passado o Sport ganhou 03 vezes do Palmeiras, 02 pela copa do Brasil (inclusive com um placar de 4 a 1) e 01 pelo Campeonato Brasileiro. Ou seja: O Palmeiras virou “freguês” do Sport!

No ano passado, ao ser campeão da Copa do Brasil vencendo o Corinthians, o que se falava em toda a imprensa no dia seguinte era da decepção e tristeza da torcida corintiana. NA imprensa, não foi o Sport que ganhou, foi o Corinthians que perdeu!!!

Os baianos que acompanha o nosso futebol deve ter visto no Youtube um vídeo que mostra um apresentador do Bom dia Brasil, da Globo, mostrando a classificação do campeonato de 2008. No vídeo o apresentador simplesmente ignora o Vitoria que ocupava a vice liderança. Falou do primeiro colocado, do terceiro e do quarto e simplesmente ignorou o Vitória!!!! O vídeo serviu de munição aos tricolores para gozar com os rubro-negros mas, deixando a rivalidade de lado, significou a oficialização do desprezo pelo futebol nordestino por parta da maior rede de TV Brasileira!

A CBF e o próprio ministério do Esporte deveriam recomendar e incentivar a regionalização da transmissão futebolística. No Nordeste, deveriam passar jogos de times da Região: Bahia, Vitória, Sport, Santa Cruz, Fortaleza, América/RN, etc. Qual interesse temos nós, nordestinos de ver Flamengo e Corinthians todas as quartas e domingos? Os dois times tem hoje as maiores torcidas do Brasil por conta de anos e anos de transmissões da Globo. Se os garotos dos anos 80 e 90 só viam estes times na TV, como poderiam torcer por outros, principalmente os de sua Região?

Os maiores públicos estão no Nordeste, notadamente na Bahia (principalmente por causa do Bahia), em Pernambuco (por causa do Sport e do Náutico) e no Ceará (por causa de Fortaleza e Ceará) mas somos relegados a assistir os times do Sul Maravilha, ou seja, não nos vemos na TV!!!

Recentemente a ótima série “Ó Pai, Ó” teve excelentes índices de audiências no Nordeste (na Bahia quase 95%) e audiência mediana na região Sul e Sudeste. A explicação dos analistas do IBOPE Global é que as pessoas fora do Nordeste não se “enxergavam” vendo a série mas, contraditoriamente a séria “Antonia” que retratava a rotina de quatro amigas num morro carioca teve boa audienca em todo o País. Morro carioca não é nossa realidade, mas damos audiência.

Está na hora de começarmos a enfrentar essa discriminação através da audiência e de protestos eletrônicos (email, abaixo-assinados eletrônicos, Orkut, que tem se mostrado boas ferramentas de pressão).
Se na política a nossa arma é o voto, em matéria de mídia televisiva nossa arma é o botão do controle remoto.Fredson Paulo Diogo
http://futebolitica.blogspot.com/

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*