Atual gestor do Vitória acusado de desvio no Goiás

Raimundo QueirosO ex- presiden­te do Goiás Esporte Clube Raimundo Quei­roz ( atual gestor de Futebol do Vitoria) está com a difícil missão de apresentar sua defesa, depois que uma sindicância apurou o rombo de mais de R$?16 milhões e apontou responsabilidade dele no caso. Todo o histórico de Queiroz na diireção do maior clube de futebol de Goiás foi esmiuçada. As provas são contundentes contra ele, alguns diretores de seu período e até seu filho, Igor Quei­roz, que também trabalhou no Goiás nesse período.

Raimundo Queiroz foi presidente por dois mandatos consecutivos — 2003 a 2006 — e após sair da diretoria foi colocado sob suspeição pelo desencontro das contas apresen­tadas e pela situação de terra arrasada em que seus sucessores en­con­traram as finanças do clube. Em dezembro do ano passado, depois que a condição de penúria do clu­be foi revelada, o Conselho Deliberativo se reuniu com uma presença recorde de 177 conselheiros. Todos ouviram Raimundo Queiroz se emocionar ao fazer sua defesa e, às lágrimas, dizer que era um “homem pobre”, honra­do e que não havia desviado dinheiro do Goiás.

Diante das contradições existentes entre o que as suspeitas apontavam e o que o ex-presidente alegava o conselho deliberou por nomear uma comissão para investigar e dar chance de defesa a Raimundo. A comissão formada pelos conselheiros Emídio de Souza, Rogério Santana Ferreira e Joneval Gomes de Carvalho esgotou o tema. O expressivo montante do passivo deixado por Raimundo no clube — R$?16 milhões — é suficiente para montar um time de ponta e dis­pu­tar em igualdade de con­di­ções campeonatos de envergadura nacional.

Segundo conselheiros ouvidos pela reportagem, o resultado das investigações é contundente e apontam para responsabilidade do ex-presidente. “A situação de Raimundo é quase indefensável”, disse um conselheiro que teve acesso ao relatório e que se impressionou com o volume de provas colhidas. Os conselheiros deliberaram por encaminhar o relatório final para a direção do clube e tomar providências mais enérgicas como representação criminal e responsabilização civil do ex-presidente. Em resumo, o Goiás Esporte Clube quer levar seu ex-presidente às barras da Justiça e fazer com que ele pague o que deve. Leia matéria de Hél­mi­ton Pra­te­a­do na íntegra aqui
Diretor de futebol do Leão nega acusações
Raimundo Queiróz, o novo diretor de futebol do Vitória, conversou, na tarde desta quinta-feira (26), com o Bahia Notícias, a fim de esclarecer as denúncias de conselheiros do Goiás, contra sua antiga administração no clube, ver nota. O novo gestor disse que o dono das acusações é o vice-presidente do clube, Edmo Pinheiro, do mandato posterior ao dele que, segundo Queiróz, tem problemas pessoais com o dirigente. “Nada do que ele falou existe. Ele sempre me perseguiu por problemas pessoais que temos. Eu já pedi diversas vezes por convocações de assembléias no clube para ele poder provar tudo que vem dizendo, mas nunca acontece nenhuma reunião porque é tudo inverdade”, desabafou Queiróz.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*