Campeonato baiano vai começar repleto de expectativas

Não podemos afirmar de antemão se será um campeonato emocionante como o do ano passado, quando Bahia e Vitória protagonizaram os melhores duelos em campo dos últimos tempos. O que se pode dizer sem medo de errar? A torcida do Bahia ganhou um motivo para se orgulhar: o Bahia está de volta a sua cidade, Salvador, num estádio digno de sua importância. O tradicional torcedor tricolor de baixa renda terá que gastar mais um pouco; transporte, o ingresso e chegará ao seu lar um pouco mais tarde. Contudo, se seu tricolor retribuir em campo não há preço que compre a sua satisfação

Nunca o futebol baiano presenciou tanta expectativa em torno de um campeonato, que só a vida com suas tramas e reviravoltas pode dar. Paulo Carneiro, caloroso rubro-negro trabalha, hoje, no Bahia. Ele terá a missão e deverá mostrar que ainda é um profissional confiável, e que tudo que falaram dele foi motivado por ressentimento. Ao passo que o Vitória de Jorginho Sampaio tem o compromisso com a sua torcida de reafirmar mais uma vez o predomínio do Vitória nos últimos campeonatos baianos.

O Vitória é o favorito para ganhar este campeonato. Sua base e principalmente a força dos novos contratados o credenciam para ganhar mais um baiano. Enquanto o Bahia começa do zero, o Vitória já tem o seu técnico desde o ano passado, quando fez uma boa campanha. O Vitória, ainda, fez um time para disputar uma competição internacional, o que deverá empolgar a torcida rubro-negra.

Mas a novidade deste campeonato, sem dúvida, é Paulo Carneiro, ex-mandrião do Vitória, chegou ao Bahia com a promessa de um grande time. Pelo menos no papel ele se esforçou e conseguiu jogadores antes nunca sonhados pelo antigo combalido Bahia. A necessidade de títulos e a gana de vencer da torcida tricolor, contudo, não pode escamotear-lhe o seu senso crítico. Certamente esses jogadores não foram obras da divindade, e custarão algo para o clube a médio e longo prazo. De onde virá tanto dinheiro para pagar todo esse investimento é o que nos perguntamos.

Cogita-se extra-oficialmente uma premiação de R$ 500.000,00 reais pela conquista do título e mais R$ 1.000.000,00 de reais pela ascensão à série “A” do campeonato brasileiro. Como um clube combalido, ontem, poderá arcar com tal monta em dinheiro através somente de doações? Não sabemos. Por enquanto torcemos sem obter respostas para essas equações. O certo é que a única certeza desse campeonato é o equilíbrio de forças dentro e fora do campo, com suas torcidas empolgadas. Mais uma vez o Bahia tem time e tem um estádio para jogar, mesmo que só fique com 50% de toda a arrecadação.
Maurício Guimarães

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*