Interior impõe fórmula do Baiano 2009

Se em campo Bahia e Vitória dominam o futebol baiano, com a exceção da conquista estadual do Colo-Colo em 2006, fora dele os clubes do interior fizeram valer suas vontades. No Conselho Arbitral realizado ontem pela Federação Bahiana de Futebol (FBF) para a escolha do modelo de disputa do Campeonato Baiano de 2009, foram as equipes do interior do Estado que decidiram a votação.

Em ampla maioria na disputa da competição – das 12 equipes apenas duas (Bahia e Vitória) são da capital – a força do interior prevaleceu. Sete clubes votaram pela repetição do modelo deste ano, com a diferença de que na fase final não será realizado o quadrangular, mas semifinais e finais. Apenas três, o Ipitanga se juntou à dupla Ba-Vi, votaram por um campeonato com menos jogos e com duas fases de grupos mais semifinal e final. Por questões legais, o Atlético de Alagoinhas e o Madre de Deus não tiveram direito a voto.

O resultado foi obtido com vantagem. Foram 40 votos para a fórmula vencedora contra 29 da outra, preferida por Bahia, Vitória, Ipitanga e pela FBF. O número alto de votos se deve ao formato da votação, que está em vigor desde 1997. Os clubes têm direito a uma quantidade de votos definida através do número de participantes da última edição do Baiano e pela colocação da equipe no campeonato. Ou seja, o Vitória, atual campeão, teve direito a 12 votos. O Bahia, vice, ficou com 11, enquanto o Conquista com 10 e, assim, sucessivamente. O Madre de Deus, que subiu este ano, teria direito a apenas um voto.

Se a escolha do modelo teve vitória fácil, o mesmo não aconteceu com a decisão do número de rebaixados para a 2ª Divisão em 2010. Por um voto se manteve a queda de apenas uma equipe. Vitória da Conquista, Itabuna, Colo-Colo, Feirense e Camaçari escolheram essa opção, somando 35 votos. Já Vitória, Bahia, Ipitanga, Fluminense e Poções queriam a queda de dois times, mas ficaram com 34 votos.

O resultado foi comemorado por alguns dirigentes. “No momento essa opção é a melhor para a maioria dos clubes baianos. Pra mudarmos, por exemplo, para dois rebaixados, precisamos fortalecer também a 2ª Divisão”, opinou o presidente do Colo-Colo de Ilhéus, José Maria. Por Raphael Carneiro/Tribuna da Bahia

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*