Wagner Mancini vai enfrentar a ira da torcida

A derrota para o Goiás, no último sábado e a 10ª posição na classificação da Série A do Campeonato Brasileiro, não deve trazer boas conseqüências para o técnico do Vitória, Vagner Mancini. A queda do rendimento da equipe no segundo turno, a falta de coerência na escalação da última partida e as duas derrotas consecutivas deixaram a diretoria e os torcedores irritados. Um novo tropeço na quinta-feira, contra a Portuguesa, no Barradão, não deve passar imune pelos rubro-negros que estarão no estádio.

Além das queixas da torcida e diretoria, Mancini terá de resolver um problema no grupo. Desde que foi informado que iria para a reserva na partida contra o Goiás, o meia Ramon tem reclamado da situação. No retorno a Salvador, o ídolo do clube lembrou que vem sendo sempre substituído durante os jogos, mas que respeita a decisão do treinador “por causa de minha história e da torcida do Vitória”.Ramon perdeu sua posição para o retorno de Marquinhos ao time. Além desta mudança, na derrota para o Goiás, o treinador tirou o volante Renan, que chegou até a ser capitão do Vitória, para a entrada de Marco Antônio. Com a derrota, o provável é que Mancini refaça as mudanças.

O certo é que o treinador não poderá contar com Leonardo Silva. O zagueiro recebeu o terceiro cartão amarelo e irá cumprir suspensão automática. Por outro lado, o time pode ter a volta de Anderson Martins, recuperado de dores musculares e liberado pelo departamento médico para treinar com bola.

Outra mudança que pode acontecer para o jogo contra a Portuguesa é no ataque. Adriano, revelado nas divisões de base do time, entrou durante a partida de sábado e lamentou a derrota. “Não fizemos uma boa partida e por isso acabamos derrotados. Agora temos que esquecer esse resultado e pensar na partida diante da Portuguesa. Precisamos da vitória para continuar sonhando com a Libertadores”, afirmou.

O jogador acredita ainda que possa ganhar a vaga no ataque para o jogo no Barradão. “Tenho certeza de que minha hora vai chegar”, disse o atacante.Estatísticas mostram que o Vitória “parou no tempo”O Vitória deixou o bonde passar na virada do campeonato e perdeu a força apresentada no primeiro turno do Brasileirão. Lembranças do bom tempo somente nas estatísticas que ainda tem o time e seus jogadores em posições importantes. O Vitória ainda é o time de melhor pontaria com 42,5% de acerto nos arremates, apesar de ter marcado apenas quatro gols nos últimos oito jogos que fazem parte do returno.

Dado emblemático é a permanência do atacante Dinei como artilheiro do time com oito gols, mesmo depois de 39 dias longe da Toca do Leão. A última partida do artilheiro foi contra o Vasco, na 19º rodada, quando ele marcou um gol e disputou o seu 14º e último jogo com a camisa rubro-negra neste ano.

O meia Ramon tenta se igualar à Dinei há oito rodadas, mas sem êxito. O oitavo gol do meia seria também o 93º dele em 18 participações no Brasileirão, o que o consagraria como o décimo maior artilheiro da história do Campeonato Brasileiro. Mas Ramon ainda não conseguiu igualar-se ao artilheiro Reinaldo, do Atlético-MG, ídolo das décadas de 70 e 80 que marcou 93 gols.

O insucesso de Ramon na corrida por essa meta é o retrato da linha descendente do time rubro-negro na competição. Os números em relação ao atacante Marquinhos também mostram a “parada no tempo” que o Vitória teve no campeonato. O desempenho no primeiro turno ainda sustenta o atacante em vários critério importantes.

Marquinhos aparece na 11º posição no ranking dos maiores finalizadores com a média de 3,0 nos 21 jogos disputados. Na 12º colocação entre o dribladores com a média 2,8, em décimo entre os garçons com cinco assistências. No entanto, faz tempo que a torcida não é agraciada com o bom futebol do jovem.

Contusões afastaram Marquinhos do time, mas a má fase ainda coincide com o anúncio da venda de 30% dos direitos econômicos do jogador, que vai defender o Palmeiras em 2009. Distraído, nesse critério Marquinhos aparece na 11º colocação entre os atletas que mais perdem a bola, uma média de 7,3.

A situação do Vitória, que ocupa a décima colocação com 40 pontos, só não é pior por causa do desempenho dos marcadores. O zagueiro Leonardo, por exemplo, é 14º no ranking dos maiores “ladrões” com uma média de 17,4 desarmes em 19 jogos. O volante Vanderson está curiosamente na lista dos 20 jogadores que mais recebem falta, uma média de 3,0 nos 22 jogos. É sinal que a bola passa bastante nos pés do volante.

Na reapresentação do elenco nesta segunda-feira, o técnico Vágner Mancini teve a boa notícia de que o zagueiro Anderson Martins está recuperado. Assim, Mancini poderá contar com o jogador nesta quinta-feira, às 20h30, contra a Portuguesa no Barrradão. Informações da Tribuna da Bahia/UOL

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*