Em dez dias governo decide o futuro da Fonte Nova

Os ingressos ainda não estão à venda – como quase já ficaram no Pituaçu -, mas o torcedor pode começar a sonhar. Em dez dias, no máximo, o Governo da Bahia “conclui análise das propostas e anuncia a melhor”, segundo informou o Secretário de Trabalho, Esporte, Emprego e Renda, Milton Vasconcelos, na apresentação das empresas interessadas, no início de Setembro.

Apesar do evento ter sido fechado para a imprensa, A T C conseguiu, junto a cada uma das concorrentes detalhes do projeto que transformará o estádio Octávio Mangabeira para a Copa do Mundo de 2014, confirmada em 30 de Outubro do ano passado no Brasil.

As idéias vão do aproveitamento integral da estrutura existente na Fonte Nova, interditada e inalterada desde a tragédia de 25 de Novembro último, passando pela demolição da praça até à sua construção em outro local na Av. Paralela.

O objetivo, de acordo com Vasconcelos, é iniciar as licitações para a construção e operação em 2009, dar o pontapé das obras em 2010, finaliza-las em 2012 e reinaugurar em 2013, a tempo da Copa das Confederações. Tudo utilizando o mínimo de investimento estatal, “ele disse zero se possível”, conforme falou.

As empresas tiveram cerca de dois meses para entregar seus estudos, porém tanto se poderá escolher uma única proposta vencedora, como se fazer um “mix” delas. Não se trata exatamente duma concorrência pública.Para convencer o grupo técnico do Governo criado exclusivamente para esse fim, estão sendo submetidas a 35 itens, sob a assessoria da Fundação Instituto da Administração, “FIA”, ligada à Universidade de São Paulo. No currículo da consultadoria “especializada em gerenciamento e viabilidade de projetos esportivos”, trabalhos nos paulistas Pacaembu e Autódromo de Interlagos, além Pan do Rio.

A Secretaria de Esportes não divulga a data da batida do martelo oficial “mas será até ao final do mês”. Promete. Matéria do Jornalista Nelson de Barros Neto na edição impressa do Jornal A Tarde

Deixe seu comentário!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*