Bahia se mobiliza para punir agressores

Após o ato de barbárie no Fazendão promovido por membros da facção organizada Terror Tricolor, o Bahia mandou à delegacia apenas o advogado Marcus Antônio Costa, que acusou os torcedores detidos pela polícia de vandalismo, agressão e roubo de material esportivo, inclusive da bola do treino. Por iniciativa própria, o goleiro Fabiano também foi à 27º delegacia, em Itinga, prestar queixa.

O delegado instaurou Termo Circunstanciado (inquérito para delito de pequeno potencial ofensivo) contra os 46 torcedores apontados pela invasão ao Centro de Treinamento. O Ministério Público do Estado (MPE) promete punição aos integrantes da invasão depois que confirmar a participação da Terror Tricolor no incidente. O promotor José Renato Oliva solicitou as imagens registradas pelas emissoras de TV presentes e aguarda as fitas para iniciar as providências.

Não vai ser difícil provar a participação da Terror Tricolor, pois a maioria dos agressores usava camiseta ou casaco com o nome e a marca da facção. Mas Oliva não adianta quais serão os próximos passos. “Não posso, até porque não vi as fitas. Vou ver amanhã (nesta quinta-feira) e conversar com o promotor Nivaldo Aquino. Sendo constatado que foi uma coisa organizada, e não duas ou três pessoas isoladas, posso garantir que medidas vão ser tomadas”, declarou o promotor, em entrevista ao Jornal Correio da Bahia.

Os promotores José Renato Oliva e Nivaldo Aquino são membros da comissão estadual de combate à violência nos estádios, criada em setembro de 2006. Oliva integra também a comissão nacional.

A diretoria do Bahia resolveu proibir a entrada de torcedores para assistir os treinamentos. Nesta quinta-feira à tarde o elenco volta a treinar visando o jogo contra o Fortaleza neste sábado, às 16h10, no Castelão. O meia Caio foi regularizado e já está à disposição do técnico Arturzinho. O atleta vem adquirindo entrosamento com os novos companheiros.Grupo revolução tricolor divulga nota

O Grupo REVOLUÇÃO TRICOLOR faz questão de se pronunciar sobre o lamentável episódio de violência ocorrido ontem à tarde no C. T. do Esporte Clube Bahia. Não vamos ficar escondidos, sem dizer o que pensamos. Temos ideais, princípios de cidadania e opinião formada sobre o assunto.

As cenas de violência promovidas por membros de uma torcida organizada foram lamentáveis e chocantes. Motivados pela crise eterna em que vive o Bahia, torcedores perderam a cabeça e agrediram fisicamente os jogadores e a comissão técnica tricolor. Segundo a polícia, a ação foi planejada através da internet, em comunidades do Orkut.

Defendemos e lutamos por mudanças, queremos ver o nosso clube organizado, bem planejado, com transparência e democracia e estamos lutando por isso… mas dentro das vias legais, respeitando as leis e as pessoas. Não concordamos com qualquer tipo de agressão, a quem quer que seja. Nossa “briga” é no campo das idéias, pois acreditamos no diálogo, no debate e na democracia. Fica aqui registrado nosso TOTAL REPÚDIO À VIOLÊNCIA.

GRUPO REVOLUÇÃO TRICOLOR
www.revolucaotricolor.com.br

Deixe seu comentário!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*