Arturzinho sem mistérios e confiante na torcida tricolor

Nem que o técnico Arturzinho quisesse, sua escalação para o duelo diante do Avaí não poderia ser escondida até momentos antes da partida. “Nem poderia esconder nada. Nossos problemas de contusões atrapalham e nos deixa com poucas opções. Mas claro que pode ter mudanças. Asseguro que o time está 99% escalado”, disse Artur.

A única dúvida seria o substituto do lateral Adilson, cortado dos planos. No seu lugar, Ávine garante vaga. Ainda no setor defensivo, Marcone é o principal nome para compor a zaga, deixando Alison no banco. No meio-campo, o estreante Rafael está confirmado.

Porém, é o ataque a principal esperança do treinador. Com Bruno Cazarine vetado pelo departamento médico, Charles terá sua chance de começar a partida como titular absoluto. O jogador sempre foi o xodó da torcida – e do próprio Arturzinho –, pela fama de salvador da pátria. Na temporada passada, pela Série C, Charles foi autor do gol que classificou o Bahia para o octogonal final do certame.

Apesar da fama de entrar e resolver, o atacante não tem boas atuações quando começa comotitular. Este ano, pelo Estadual, Charles marcou três gols, mas todos quando foi solicitado seus serviços no decorrer da partida. Será sua como titular na Série B.

Além das mudanças, a comissão técnica resolveu investir em jogadas aéreas com cruzamentos da linha de fundo. O posicionamento no campo também foi batido pelo treinador, que não pensa em outra forma de contornar a crise que não seja o triunfo. Se depender do histórico, o Bahia pode ter uma esperança a mais. Dos quatro confrontos em solo baiano, os catarinenses só venceram o último duelo, em 2005, ano que o Esquadrão de Aço caiu para Terceirona.

No total, o tricolor foi superior, vencendo a metade dos 12 jogos no histórico do confronto. Caso vença hoje, além de aumentar a vantagem, o Bahia pode respirar e sair, mesmo que temporariamente da zona de rebaixamento, dependendo dos demais resultados.

Mas a preocupação de Arturzinho também está além das quatro linhas do campo. Assim como a diretoria, o técnico ainda não se acostumou com o fato de jogar com um público reduzido, ao contrário da temporada passada, em que Artur presenciou a Fonte Nova com uma média superior aos 40 mil pagantes.

Porém, o comandante sabe que os torcedores não são culpados. “Sabemos como é difícil se deslocar de um cidade pra outra com a intenção de ver seu time jogar. O torcedor está sofrendo muito com seu time jogando longe da sua cidade. Mas, assim como os torcedores, nosso elenco também sofre com isso. A presença do público é muito importante para o entrosamento. É realmente complicado para os dois lados. Mas temos que superar isso tudo“, disse Artur ao Jornal A Tarde.Em time que ganha…

Do lado do Avaí, o técnico Paulo Silas (foto) vai repetir a formação que venceu o Ceará. “O time vem bem e vamos manter enquanto pudermos. Arrumamos alguns detalhes e agora é esperar a hora da partida”, afirmou o comandante do Avaí, que teve dez dias para trabalhar o time desde a partida contra os cearenses.

O meia Válber, um dos destaques do time e que tem uma multa rescisória no valor de R$ 13 milhões, foi liberado pelo departamento médico e está confirmado pelo treinador. As novidades estarão no banco de reservas. O zagueiro Cássio e o meia Hegon cumpriram suspensão automática e estão à disposição de Silas

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*