Anderson Martins ganha status de intocável no Vitória

Nenhum jogador representa melhor a reviravolta experimentada pelo Vitória na atual temporada que o cearense Anderson Viera Martins. Aos 20 anos, nove deles vividos na Toca do Leão, o beque de 1,83m e 78kg soube dar a volta por cima justamente quando ninguém esperava, no Campeonato Brasileiro.

De todos os jogadores da retaguarda, ele foi o único que sobreviveu como titular após a instável campanha no estadual, em que, apesar do título, o Vitória apresentou um desempenho defensivo medíocre, com 41 gols sofridos em 28 jogos, média de 1,46 por partida. No gol, alternaram-se

França e Ney, até a chegada de Viáfara no Brasileirão; na lateral direita foram experimentados Alex Santos, Anderson Souza, Leumir, Willians Santana, Carlos Alberto e Marco Aurélio; na esquerda, Alessandro, Gustavo e Fernando – Marcelo Cordeiro assumiu o posto no Brasileiro.

Mantido na equipe mesmo depois da saída do técnico Vadão, Anderson Martins virou o alvo preferencial das críticas da crônica esportiva local, que via nele o ponto fraco do sistema defensivo rubro-negro. “Na minha chegada, falava-se muito que ele era o ponto vulnerável da nossa defesa, mas eu vi no atleta uma disposição e uma vontade acima do normal em mostrar que ele era exatamente aquilo que tem sido visto em campo hoje, um zagueiro firme e muito eficiente”, relatou Mancini.

Após a chegada de Leonardo Silva, já na fase final do Baianão, a expectativa geral é a de que Anderson fosse para o banco de reservas. Mas quem perdeu lugar no time foi o experiente Marcelo Batatais, capitão da equipe na campanha que culminou com o acesso para a Série A, ano passado.

Leonardo ficou suspenso, contundiu-se, e Anderson Martins já fez dupla de zaga com Wallace e Thiago Martins neste Brasileirão e após nove partidas seguidas como titular, deixou a equipe na última rodada na condição de melhor defesa do Brasileirão, então com seis gols sofridos, média de 0,67 por partida.

Pelo estilo ágil, com poder de antecipação nas jogadas, garra e regularidade fora do comum para um zagueiro, o atleta é considerado pelo técnico Vagner Mancini elemento chave no setor defensivo do time rubro-negro. E enquanto até mesmo os rodados Jackson, Rodrigão e Ramon Meneses experimentaram o banco de reservas do Vitória no Brasileiro, Anderson é, ao lado do volante Vanderson, o único jogador da equipe que continua como titular desde o início da temporada.

“Eu acho que não só eu como todo o grupo tem evoluído bastante. O time acertou a marcação e subiu de produção nas partidas. Todo mundo tem se empenhado muito. Os jogadores estão fazendo o seu melhor, se entregando nos jogos e os resultados estão vindo”, diz o zagueiro.

Anderson Martins está no Vitória desde os 11 anos e trilhou o caminho natural nas divisões de base até conquistar vaga na equipe profissional. Paulatinamente, o atleta readquire a boa fase interrompida por duas cirurgias no joelho direito, em 2006 e 2007. As contusões atrapalharam a carreira nas categorias de base da Seleção Brasileira. Ás vésperas da segunda convocação para a Seleção Sub-20, o jogador sofreu a primeira lesão. Meses antes, havia sido titular pela Sub-18.

“Às vezes, por eu ser novo, a responsabilidade recaia sobre mim”, disse. “Mas com uma cabeça boa, trabalho, dedicação e muita fé em Deus eu consegui me recuperar e dar a volta por cima”.

O potencial do jovem jogador já desperta interesse. Ao lado do atacante Marquinhos, outra cobiçada revelação rubro-negra, o zagueiro encabeçava uma lista de jogadores que a Traffic se interessava em adquirir numa parceira com o Vitória, que não foi concretizada.

A idéia inicial da empresa era adquirir parte dos direitos federativos de alguns atletas e deixá-los no clube até aguardar o momento da valorização para negociá-los. “A parceria com a Traffic não se concretizou porque os valores não chegaram aonde a gente queria. A proposta foi muito baixa”, declarou o presidente do Vitória S/A, Jorge Sampaio.Os direitos federativos do zagueiro pertencem ao Vitória. O procurador de Anderson Martins, Oldegard Filho, afirmou que até o momento nenhum clube do exterior fez contato, mas avalia que no mercado atual “Anderson é um jogador avaliado em 1,5 a 2 milhões de euros”.Rodrigo Meneses, especial para o Pelé.Net

Deixe seu comentário!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*