Wagner Mancini controla euforia

O Vitória chegou ao G-4 do Brasileiro, mas Vágner Mancini alerta para os problemas futuros. “O mais difícil é manter o time nesse grupo. Estamos brigando com cinco ou seis equipes que têm aproveitamento acima dos 55%. Agora, vamos somar pontos e ainda assim vai ser complicado subir na tabela, mas é importante ganhar vantagem para quem vem atrás”, analisou. O técnico reconheceu o jogo de marcação realizado pelas duas equipes, principalmente no primeiro tempo, e exaltou o poder de fogo rubro-negro. Sobre a saída de Willans, melhor em campo, fez questão de ressaltar o cansaço, apesar de o próprio garoto ter atribuído apenas a Mancini o mérito pela substituição.

Jackson reapareceu depois de bom tempo afastado e Ricardinho marcou golaço que pode acirrar ainda mais a disputa por vaga no meio-de-campo. Leonardo Silva recebeu o terceiro cartão amarelo e estará fora da partida contra a Portuguesa, domingo, no Estádio do Canindé. O comandante preferiu não garantir substituto, mas admitiu que Wallace sai na frente pela boa atuação contra o Santos, há duas rodadas.

Não há nenhuma chance

Não há nenhuma chance de o Bahia realizar alguns dos seus jogos no Barradão, como mandante. Antes do pedido oficial do tricolor, quinta-feira, o presidente do Vitória S/A, Jorginho Sampaio, não deu logo a negativa por educação. Se dependesse dele, certamente teria colocado ponto final no assunto na hora. Na segunda sondagem, comentada no dia seguinte – na anterior, com urna no estádio, durante o Campeonato Baiano, o resultado foi 91% contra e 9% a favor – houve quase unanimidade entre os torcedores contrários ao pleito do rival.

Os conselheiros mais influentes no cotidiano rubro-negro nem foram contatados: a maioria logo telefonou para “os pares”, como disse Jorginho, ou compareceu pessoalmente ao Barradão para antecipar o “não”. Também terminou em unanimidade a sondagem do Correio da Bahia com cinco torcedores ilustres: Alvinho Barriga Mole, André Catimba, João Borges Bougê, Louro e Rosicleide. Os três últimos, aliás, exaltaram-se durante a entrevista, com algumas palavras impublicáveis ditas no calor da paixão.

Sem bate-chapa

Renato Lavigne, repórter da Rádio Excelsior 840AM e comandante do Grito Rubro-Negro há cerca de duas décadas, retirou na última quarta-feira a candidatura a vereador em Salvador nas eleições de outubro. O radialista justificou a desistência por achar que no dia-a-dia e dando continuidade ao seu programa dominical, das 12h às 13h30, será mais útil ajudando ao Vitória do que utilizando-se da marca do clube em proveito próprio. Com informações do Correio da Bahia

Deixe seu comentário!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*