Arturzinho tenta motivar o Bahia

Quem observa Arturzinho comandando a equipe, seja nos treinos ou nos jogos, fica impressionado com tanta gesticulação e gritos, contrastando com o jeito mais comedido do antecessor Comelli. A impressão que dá é de que é impossível não ser contagiado por tamanha energia. E a expectativa da torcida tricolor é que os seus comandados sigam seus exemplos e tenham mais vibração em campo, para que os bons resultados retornem.

E, para o técnico, uma das principais formas de dar essa motivação, além da vibração, é uma outra característica sua. A intensa mudança na equipe titular. Muito criticado por essa mania, Arturzinho reconhece que faz isso para evitar a acomodação com a titularidade absoluta.

Pensando nisso, o carioca chegou fazendo mudanças no time titular de Comelli. Na tarde desta quarta-feira, ele iniciou o coletivo com Darci, Luciano Baiano, Cléber Carioca, Rogério e Adilson; Fausto, Emerson Cris, Ávine e Elias; Bruno Meneghel e Juca.

Destes, apenas seis começaram como titulares contra o Barueri no último sábado. O que comprova o gosto do treinador por mudanças na equipe titular.

A absolvição de Rogério foi a mais comemorada, afinal, com as contusões de Alison e Marcone, o novo técnico teria apenas Cléber Carioca e Padovani para escalar no sábado.

Rogério foi absolvido e Rivaldo pegou um jogo de suspensão. Como já cumpriu contra o Barueri, está liberado.

Antigo titular absoluto de Paulo Comelli, e um dos melhores do meio para a frente da equipe, Rivaldo perdeu a condição desde a chegada de Arturzinho, mas não se desanima. “Que nada. Sou funcionário do Bahia e ele está colocando quem ele já conhece. Agora é esperar uma oportunidade e aproveitar”, dizia o meio-campista, ainda preocupado com o resultado do julgamento que só seria conhecido depois do treino.

Muito criticado no início, atuando como meia, Rivaldo deu um salto de qualidade quando passou a jogar mais recuado. Mas quem pensa que foi um improviso do antigo chefe se engana. “Prefiro jogar de segundo volante, mas também de meia. O importante é jogar. Eu comecei jogando de volante, mas depois acharam que eu tinha qualidade para jogar mais avançado e me adiantaram”, diz.

Os homens de confiança de Arthuzinho

É tendência entre os treinadores procurar no grupo homens de confiança, atletas capazes de dar ao time suporte necessário nos momentos de dificuldade. O Bahia do técnico Arturzinho teve sua base de ação montada na terceirona 2007: Rogério, Fausto, Emerson Cris, Adilson e Elias, antigos e atuais titulares que ganham ainda mais respaldo com a troca no comando técnico.

Que o diga Emerson Cris, o “capita”, pouco aproveitado com Paulo Comelli, resgatado imediatamente no retorno de Artur ao Fazendão. “Acho que não me encaixava no estilo de jogo dele. É normal. Você percebe quando o treinador gosta do seu estilo”, analisou o capitão do acesso à Série B. A provável reedição da dupla agrada a Fausto, embora enfático que não há titular absoluto.

“Joga quem estiver melhor. Tinha alguns jogadores que não estavam se sentido úteis. O Emerson Cris é um grande profissional, mas estava precisando de uma motivação a mais”, revelou. Arturzinho concorda, com ressalvas. Admite ser comum ter jogadores que possam transmitir aos outros a nova filosofia, mas garante que o processo não é de recuperação. “Precisamos moldar alguns ao espírito em que eu trabalho. Vou dar oportunidades, se não der certo, mudo”.

Para conseguir o “molde” ideal em curtíssimo prazo, a palavra-chave é motivação, qualidade ressaltada no treinador por boa parte do grupo. Atleta vibrante, esforçado encontra em Arturzinho ponto de referência. E é basicamente o que ele poderá oferecer nos quatro dias que separam sua chegada da partida contra o Criciúma, sábado, no Estádio Heriberto Hulse. Com informações da Tarde/Correio da Bahia/Foto/Agência A Tarde Criciúma deve ter novidades nas duas laterais contra o Bahia
Depois do revés por 1 a 0 sobre o CRB em Alagoas, que deixou o Criciúma com apenas seis pontos na Série B do Campeonato Brasileiro, o técnico Gélson Silva projeta mudanças nas duas laterais da equipe catarinense. Nesta semana, na preparação para encarar o Bahia, ele promoveu alterações nas duas alas.

Na esquerda, a novidade do Criciúma é o retorno do lateral Cláudio, que não enfrentou o CRB porque estava gripado. Com isso, Mateus deixará a equipe no jogo contra o Bahia.

A outra modificação aconteceu na direita, mas com um sentido contrário. Em vez do retorno de Reginaldo Araújo, que estava no departamento médico, Gélson resolveu manter Patric entre os titulares.

O Criciúma ainda terá mais uma novidade no confronto com o Bahia. Como o atacante Beto foi negociado com o Atlético-MG, Zulu formará dupla de Jael no setor ofensivo da equipe catarinense.Bahia quase definido

No coletivo realizado no Fazendão na manhã desta quinta-feira (05), o técnico Artuzinho praticamente definiu a equipe que encara o Criciúma, neste sábado (07), às 16 horas, no estádio Heriberto Hülse.
A única dúvida está entre Rivaldo e Ávine no meio de campo. Galvão é o preferido do técnico para o ataque, mas segundo o próprio Artuzinho, o jogador que está visivelmente fora de ritmo e ainda voltando de uma lesão no joelho, não deve aguentar nem 60 minutos de jogo, e com isso deverá ficar no banco. No mais, o time é o mesmo que vinha treinando desde a volta de Artuzinho: Darci; Luciano Baiano, Cléber Carioca, Rogério e Adílson; Fausto, Emerson Cris, Ávine (Rivaldo) e Elias; Juca e Bruno Cazarine. Álison, Fábio, Marcone, Luciano Ferreira, Oliveira e Charles estão vetados – Bahia Noticias –

Deixe seu comentário!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*