Paulo Carneiro perde nova batalha judicial contra o Vitória

A juíza Vivianne Tanure Mateus voltou a dar ganho de causa ao Vitória em ação movida pelo ex-presidente do EC Vitória e Vitória S/A, Paulo Carneiro. A justiça negou provimento aos embargos de declaração apresentados pelo ex-dirigente que ajuizou reclamação trabalhista em valor estimado de R$10 milhões, entre salários e outros encargos. A Justiça do Trabalho já havia dado ganho de causa ao clube numa primeira ação.

Paulo Carneiro, que ainda foi condenado a pagar R$ 5 mil por custas de processo, deu entrada em recurso e agora aguarda a contra-resposta oficial da Justiça. O advogado do Vitória no caso, Antonio Carlos Rodrigues, o Cacau, preferiu não comemorar o resultado, embora as decisões sejam favoráveis. “Ele (PC) tem o direito de recorrer e vamos aguardar o posicionamento do Judiciário”, declarou ao Jornal Correio da Bahia.

A estimativa é que, até julho, a juíza explique suas razões para acreditar que a sentença está correta e, por isso, deva ser mantida. Na fundamentação anterior, Viviane Tanure Mateus criticou a “natureza protelatória dos presentes embargos” apresentados por Paulo Carneiro, razão da multa a ele aplicada.

Paulo Carneiro foi presidente do Vitória por 15 anos e comandava o clube na campanha do vice-campeonato Brasileiro de 1993, quando o time rubro-negro perdeu na decisão para o Palmeiras de Edílson, Edmundo, Evair e cia. No entanto, foi com o dirigente que o clube conheceu também sua pior fase, os rebaixamentos consecutivos para a segunda e a terceira divisões nacionais, nos anos de 2004 e 2005. Com informações do UOL

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*