Dupla de baianos defende o Santos

O goleiro Fábio Costa, revelado nas divisões de base do Vitória, e o zagueiro Domingos, são os dois baianos que integram a equipe titular do Santos que enfrenta o rubro-negro. O treinador de goleiros, Eduardo Andrade, foi quem fez toda a preparação para Fábio Costa ser hoje o prata da casa de sucesso no Peixe. Fábio Costa jogou a última vez contra o rubro-negro defendendo o Corinthians na Copa do Brasil de 2004 e o time paulista acabou sendo eliminado ao perder por 2×0, no Barradão. “Dida, assim como Fábio Costa, começaram comigo nas divisões de base do Vitória e tenho muito orgulho disso. Até hoje noto que ele tem carinho pelo Vitória. É um grande profissional e quando joga contra a gente se motiva mais”, observa Eduardo Andrade. O zagueiro Domingos não atuou em nenhuma equipe profissional e tampouco defendeu alguma seleção do interior. Há oito anos, ainda garoto, foi tentar a sorte no Corinthians, entre cerca de 20 jogadores que foram fazer testes através de Vampeta. Não foi bem-sucedido. Desiludido, Domingos teve o apoio do empresário baiano Luciano Lacerda, o mesmo que transporta as equipes de fora que jogam em Salvador. Por intermédio de Luciano Lacerda, o zagueiro fez testes no Santos, foi aprovado e até hoje não atuou em outra equipe.

O técnico Cuca, que estréia no comando da equipe, no lugar do demissionário Leão, fez ontem, pela manhã, um treino técnico no campo do Bahia, no Fazendão. A delegação está desde anteontem na cidade e já chegou com o time definido

Vitória busca a recuperação em casa

Quatro anos depois, o Vitória recebe a visita do Santos hoje para o confronto das 18h10, no Barradão. O rubro-negro, que na rodada passada perdeu para o Ipatinga, em Minas Gerais, por 2×0, busca a reabilitação na Série A do Campeonato Brasileiro. Em 2004, quando o Vitória caiu para a Série B, perdeu em casa e na Vila Belmiro, por 2×1 e 4×1, respectivamente. O último triunfo do bicampeão baiano sobre o Peixe, no Barradão, foi em 13 de julho de 2003, pelo placar de 2×0, pelo Brasileirão. Os gols foram de Dudu Cearense, de pênalti, e Gilmar, ambos no segundo tempo. Será a terceira partida em casa do Leão no Brasileiro. No primeiro, perdeu para o Cruzeiro e, no último goleou o Figueirense-SC, por 4×0. O time está praticamente pronto. O técnico Vágner Mancini, que não terá os titulares Leonardo Silva e Vanderson, suspensos, e Jackson, lesionado na coxa direita, só aguarda a palavra final em relação ao volante Renan, que foi poupado do rachão de ontem, pela manhã. Renan sentiu a coxa no coletivo de quinta-feira e, por orientação dos médicos, não foi muito exigidos nos dois últimos dias justamente para dar mais repouso à musculatura. Ontem, pela manhã, ele treinou à parte sob a orientação do fisicultor Jorge Lago. Héverton está pronto para substituir Jackson. O meia/atacante recuperou-se do traumatismo no tornozelo direito e participou integralmente do recreativo. Wallace e Anderson Martins, que jogam juntos há mais de oito anos, vão formar pela primeira vez no Brasileiro a dupla de zaga titular. Wallace ocupará a vaga de Leonardo Silva; no meio-de-campo, Marco Antonio substituirá Vanderson.Inauguração ANTES DE a bola rolar no jogo contra o Santos, hoje, o Vitória vai inaugurar a nova sala de imprensa, denominada jornalista João Borges Bougê, no Barradão. Amplo, com capacidade para 40 pessoas sentadas, ar condicionado e carpete vermelho, o novo local servirá para as entrevistas coletivas do técnico e dos jogadores após os jogos. Durante a semana, o salão será ocupado para as preleções do técnico Vágner Mancini. Intransigente MAIS DOIS jogadores que foram colocados em disponibilidade por não fazer parte dos planos do técnico Vágner Mancini fizeram acordo com o Vitória: os zagueiros Alex Oliveira, que é dono do atestado federativo, e Rafael Santos, devolvido ao Atlético-PR. Ambos deixaram o clube anteontem. O goleiro França tinha acertado um acordo, mas voltou atrás e está treinando em horário diferenciado dos companheiros. O volante Marcelo Silva, no entanto, continua intransigente. O jogador, que tem contrato até o final do Brasileiro, só aceita a rescisão do vínculo recebendo tudo o que tem direito. Correio da Bahia

Deixe seu comentário!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*