Qual o sabor do título de 2008?

Uva, menta, café ou cacau?

O Campeonato Baiano de Futebol Profissional de 2008 já marcou a sua passagem na história. Pelo equilíbrio na luta pelo título até a última rodada, pela força do futebol do interior, e principalmente pela participação folclórica das torcidas de Bahia, Vitória, Vitória da Conquista e Itabuna, que no quadrangular final decidiu dar um sabor especial às comemorações das suas grandes conquistas, na gozação, nas provocações aos adversários.

A história do futebol baiano não registra a disputa de um título Estadual com tanto equilíbrio e probabilidades, como o Campeonato Baiano de 2008. Até porque, a fórmula deste ano é nova, com a realização de um quadrangular final, por pontos corridos, bem diferente das anteriores que eram por campeões de turnos, decidindo títulos, ou fases eliminatórias, o tradicional mata-mata, até a definição dos dois finalistas, em jogos de ida e volta.

A fórmula de 2008 deu a oportunidade de recuperação e da luta pelo título aos quatro times classificados, como o Itabuna, que após três derrotas, venceu dois jogos consecutivos contra o Conquista e o Bahia, e chega à última rodada do quadrangular final com reais possibilidades de ser campeão baiano pela primeira vez na história do clube do Sul do Estado, da cidade do cacau, ou até lutar pelo vice-campeonato, vencendo o Vitória, e garantir uma das vagas do futebol baiano na disputa da Copa do Brasil de 2009.

Mas sem dúvida, que a grande marca deste campeonato será a participação efetiva das torcidas. Começou com o Bahia, na goleada de 4 a 1 sobre o Vitória, no Barradão, quando torcedores e jogadores cantaram o triunfo com o refrão da música “Chupa que é de uva” da banda Aviões do Forró.

A resposta do Vitória veio uma semana depois, na goleada de 3 a 0 sobre o Bahia, em Feira de Santana, quando também torcedores e jogadores cantaram e dançaram o hit da música “senta que é de menta”, da banda Cavaleiros do Forró. A rivalidade tomou conta de Salvador, em todos os cantos, em todos os bares, e chegou ao interior do Estado, nos jogos do feriado de 1º de maio, quinta-feira, entre Vitória da Conquista 3 x 1 Vitória, e Itabuna 3 x 0 Bahia.

Os torcedores do time de Vitória da Conquista, município Integrado ao principal pólo cafeicultor do Estado, adaptaram o hit da Banda Aviões do Forró, utilizando o café, e dançaram e cantaram nas arquibancadas do estádio Lomanto Júnior, sob o som do “chupa que é de café” para a torcida do clube de Salvador. Em Itabuna, a mesma adaptação, o mesmo refrão para os torcedores do Bahia, com o “chupa que é de cacau”.

Mas os torcedores de Itabuna, após o triunfo contra o Bahia, ainda criaram uma outra opção, um outro sabor para a decisão do título do Campeonato Baiano: “engasga, engasga, engasga que é de jaca”, fazendo alusão à força do futebol do interior à dupla Ba-Vi.

A última rodada do quadrangular final do Campeonato Baiano, amanhã, vai começar muito antes das 17 horas. Nos bastidores a disputa será para ver quem inicia o jogo depois. Atenta a essa briga, a Federação Bahiana de Futebol (FBF) tratou de alertar os clubes. Um minuto a mais trará um prejuízo de R$ 10 mil reais para a equipe que provocar o atraso.

A decisão foi comunicada em uma resolução de diretoria (RDI) publicada ontem no site oficial da entidade. Na tentativa de evitar quaisquer atrasos, a FBF alterou o artigo 30 das Normas Gerais dos Campeonatos Oficiais da FBF.

“A associação que não apresentar sua equipe em campo até cinco minutos antes da hora marcada para o início da partida, salvo motivo de força maior plenamente comprovado, ficará sujeita à multa de R$10.000,00 (dez mil reais) por minuto de atraso, sem prejuízo da remessa da súmula do jogo para o TJD do futebol do Estado da Bahia, visando também a aplicação das sanções previstas no CBJD”, diz a nova redação.

De acordo com a entidade, a medida foi tomada para “ser evitada a prática que vem sendo costumeiramente empregada pelas equipes de futebol, no tocante ao atraso proposital na entrada em campo antes do início de partidas cujo resultado tenham relação direta com outra(s) realizada(s) na mesma data e horário”.

De acordo com a FBF, essa alteração segue uma recomendação da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). A mudança está inserida no artigo 52 do Regulamento Geral das Competições da CBF. Além das multa de R$ 10 mil, existe a multa de R$ 2 mil para jogos que não tenham muita importância, não sejam uma decisão.Tribuna da Bahia

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*