Manifesto pró-Bahia e eleição direta já

Bahia já se mobilizou, de modo heróico, histórico, pela independência, pela abolição dos escravos, pela exploração do petróleo, e vem aglutinando suas forças, com sucesso, em defesa do desenvolvimento econômico, pela implantação dos pólos industriais, pela indústria petroquímica, pela modernização agrícola e pela agricultura irrigada, a recuperação da lavoura cacaueira e tantos outros movimentos que empolgaram a sociedade brasileira e vêm resultando na superação e na desmistificação da imagem que o preconceito rotulou para os baianos.

Agora cumpre mais uma empreitada a fim de viabilizar um patrimônio de toda a Bahia esportiva: o E.C.Bahia. O atavismo de personagens que militam em torno do E.C.Bahia com espírito de facção e interesses pessoais nada tem a ver com o espírito que queremos dirigir o Bahia como um fim em si mesmo e viável, dotando-o de visão empresarial e quadro associativo mais ativo. O abandono de uma postura personalista que permeia nossa vida societária é imprescindível e deve permear verdadeiros tricolores a fim de atingir interesses maduramente construídos fruto de uma coligação de esforços movido por altos ideais. O Bahia antes de ser uma grande campeão e orgulho dos baianos e brasileiros é um patrimônio espiritual do povo baiano. Algo que insere seus personagens principais como algo irrelevante em face de uma consciência coletiva e histórica que o Bahia transcende os homens para se tornar um forte apelo popular e político.

Urge que os altos cargos num futuro clube empresa no Bahia sejam apenas acessórios em face de um estatuto que integre todas as correntes de pensamento no Bahia com o fito de que seus personagens desçam dos palanques comprometidos com a alternância de poder, uma democracia política e financeira que o dote de uma verdadeira instituição autônoma e independente de federações, empresas de comunicação e qualquer outro interesse estranho aos interesses maiores do E.C.Bahia.

Sabemos que esta tarefa de soerguer o Bahia não é fácil, mas cumpre realizá-la para que possamos juntos voltar a sonhar com um Bahia da Bahia esportiva comprometido com a formação de homens com amor ao desporto e pessoas que possam geri-lo em cargos remunerados e submetidos sempre ao seu desempenho. O foco deve ser o clube, nunca as pessoas. Cabe aos futuros administradores dosar com uma política adequada o lucro da administração-empresa do Esporte Clube Bahia para que todo o seu patrimônio material esteja em função da coletividade de seus torcedores e o seu lucro deverá sempre ser reinvestido na nova instituição que nas nascerá como um novo Bahia renascido da ave mitológica Fênix.

Maurício Moura Costa Guimarães

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*