Ipatinga não assusta

O discurso batido que classifica times ameaçados pelo rebaixamento como adversários mais difíceis do que o normal não faz parte da cartilha do treinador rubro-negro Vágner Mancini.

Rebaixado para a segunda divisão do Campeonato Mineiro e atual lanterna do Brasileirão, o Ipatinga não assusta nem um pouco o Leão. Porém, também é preciso evitar o menosprezo.

Exemplos de times que subiram dos vestiários vencedores e desceram derrotados não faltam. A imagem do gordinho Cabañas calando o Maracanã não está guardada somente na memória dos flamenguistas, mas de todos os brasileiros.

Mesmo assim, Mancini pensa mais na possibilidade de se aproveitar da situação desesperadora do Tigre. “Como o Ipatinga precisa muito vencer, se a gente faz um gol logo no início ele passa a ser um adversário inconseqüente”, afirmou.

Mas o treinador também vê o outro lado lado da moeda, este mais nebuloso: “Eles podem ficar desequilibrados se o jogo estiver bom pra gente, mas, se eles saem na frente, ficam motivados e o Vitória vai precisar de muito mais futebol e força física”.

Neste próximo domingo, a partir das 16 horas, no Ipatingão, os jogadores rubro-negros vão poder olhar nos olhos dos adversários e avaliar se eles parecem pilhados ou não. Por enquanto, o volante Renan prefere recorrer ao velho bordão: “Não tem bobo no futebol”.

“Todo time oferece perigo. Se a gente entrar pensando que eles são mais fracos porque foram rebaixados no Estadual e estão em último, vamos perder o jogo. Tem que ter humildade”, exigiu.

O exemplo do jogo entre Flamengo e América também faz sentido para o cabeça-de-área. “Teve tanta festa antes da partida que eles esqueceram de jogar. Não podemos fazer igual”.

O único – Na manhã desta sexta-feira, Mancini voltou a promover um treino coletivo e confirmou que o time titular escalado na atividade será o que vai começar o jogo diante do Ipatinga.

O Vitória forma com Viáfara, Marco Aurélio, Leonardo, Anderson Martins e Marcelo Cordeiro; Vanderson, Renan, Jackson e Ricardinho; Marquinhos e Dinei.

O treinador explica a escolha do garoto no lugar de Muriqui, que foi titular no 4 a 0 sobre o Figueira. “Muriqui atuou bem, mas está atrasado em relação à parte tática. Marquinhos está mais acostumado a fazer a função de marcação e é preciso que ela seja tão boa quando do lado direito, com Jackson”, esclareceu.

Já os experientes Ramon e Rodrigão terão que se conformar com a reserva e Mancini pretende ter uma conversa particular com cada um para explicar o motivo da escolha por Ricardinho e Dinei. Por enquanto, ele aponta as razões para a imprensa.

“É uma questão de ser justo. Ricardinho e Dinei já haviam entrado bem no jogo contra o Sport, mas seria injusto se eu tirasse os titulares para colocar atletas que só haviam jogado meio tempo. Diante do Figueirense eles mostraram uma dinâmica maior e mereceram as vagas”, definiu. Informações do jornalista Daniel Dórea, do A Tarde ► Vágner Mancini dá explicações
O técnico Vágner Mancini disse que não costuma dar satisfação ao atleta quando escala ou tira do time. Mas, por gostar de trabalhar num ambiente saudável, procura sempre conversar com o jogador quando acha necessário tomar uma decisão. Em relação a Ramon Menezes e Rodrigão, que, mesmo recuperados vão ser reservas na partida contra o Ipatinga, o treinador ficou de conversar com ambos com a delegação já no Vale do Aço. “O meu diálogo é sempre aberto para que todo mundo saiba que aquilo que está sendo feito é com a maior justiça possível. Se eu tivesse adiantado as saídas de Ramon e Rodrigão, a imprensa não veria o que aconteceu no treino de hoje (ontem). Tenho dois dias para bater um papo com os dois”, justificou.

Muriqui não continuou como titular porque não assimilou, mesmo com pouco tempo de clube, o que Mancini pediu no último jogo. Ao contrário de Dinei e Ricardinho, que nas vezes anteriores que entraram no time corresponderam. A justiça aos dois, no entanto, vai acontecer amanhã. Marquinhos não jogará com 100% das suas condições. O atacante, que ainda não chegou a um acordo com a direção do Vitória para ter o contrato atual de 2010 para ser prorrogado até o ano 2012, recuperou-se de dores musculares no abdômen, mas ainda reclama do tornozelo esquerdo.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*