Vitória repete equipe contra o Conquista

O técnico Vágner Mancini é um privilegiado. O que o ex-treinador Vadão, não conseguiu em 20 jogos pelo Campeonato Baiano e mais dois pela Copa do Brasil, ele alcança com pouco tempo de trabalho no Vitória: repetir o time de uma partida para outra. Sem o incômodo de ter jogador contundido ou mesmo suspenso na abertura do quadrangular decisivo, contra o Itabuna, Vágner Mancini está à vontade para escalar na segunda rodada, amanhã, no Barradão, diante do xará de Vitória da Conquista, os 11 que iniciaram o confronto passado no Estádio Luiz Viana Filho, onde o rubro-negro ganhou por 1×0.

Mesmo com todos os jogadores à sua disposição, Vágner Mancini prefere aguardar o encerramento do recreativo desta manhã, no CT do Barradão, para carimbar o time que enfrentará o homônimo do sudoeste baiano. “Não é meu costume anunciar a escalação da equipe antes da última atividade. Uma das razões é para deixar o elenco motivado e o outro é que pode acontecer algum problema de última hora e eu ser forçado a mudar”, justificou. No rachão de sábado passado, o zagueiro Marcelo Batatais sentiu o músculo da coxa direita e, por pouco, não ficou de fora do jogo contra o Itabuna.

Batatais não preocupa mais

Desta vez, no entanto, Batatais não preocupa mais. No segundo coletivo-tático da semana, realizado na tarde de ontem, o zagueiro participou normalmente, deixando o treinador mais tranqüilo ainda. No treino de anteontem, ele ainda sentia um pouco o cansaço muscular. “Hoje (ontem) está tudo bem. Agora é só esperar a hora do jogo para que o Vitória consiga mais um resultado positivo dentro de casa”, declarou o experiente Marcelo Batatais que não recebeu cartão amarelo nos 21 jogos disputados pelo Baianão. A única advertência com o amarelo aconteceu no primeiro “mata-mata” da Copa do Brasil com o Paraná.

Time capenga pela esquerda

O time do Vitória continuará capenga pelo lado esquerdo. A observação é do técnico Vágner Mancini. E tem sentido. O lateral-esquerdo Alessandro, que estava emprestado ao Guarani e voltou para servir de opção ao treinador, não tem condição legal para disputar os jogos finais do Baianão e só será utilizado no Brasileirão. O Vitória fez uma consulta à CBF e o parecer foi contrário ao seu aproveitamento. Quando Alessandro rescindiu contrato com o Guarani, as inscrições já tinham sido encerradas pela CBF.

Torcida – Toda comissão técnica quer ver o Barradão lotado. Com o time na liderança e um domingo com previsão de sol, a diretoria acreditou na fidelidade de sua torcida, colocando a carga máxima de ingresso, chegando aos 35 mil. “Acho que vai ultrapassar os 22 mil”, disse o esperançoso cartola rubro-negro, Jorge Sampaio.

Desde a última terça-feira os ingressos já estão sendo vendidos na loja oficial do clube, no Shopping Capemi. Até esta sexta, o movimento ainda era fraco no local. Mas, nada fora do previsto. Segundo os vendedores, apenas no sábado os torcedores começam a formar filas na loja. Meia-entrada só no domingo, no Barradão, duas horas antes do duelo. ► Vitória quer atacantes de Grêmio e Paulista

Apesar de ter o ataque mais positivo do Campeonato Baiano, com 51 gols, Vitória está em busca de atacantes. Isso porque o clube teve que devolver o atacante Michel na noite de quinta-feira para o Internacional, a pedido do clube gaúcho que o negociou para um clube coreano e ficou apenas com dois atacantes: o xodó Rodrigão e o criticado Diego Silva.

Além do retorno de Nádson, grande ídolo Rubro-Negro, o clube vai atrás de dois atletas. O primeiro é Neto Baiano. O atleta teve passagens pelo Palmeiras e Atlético-PR. Seu último clube foi o Paulista de Jundiaí, onde disputou o Paulistão desse ano e marcou nove gols. O presidente confirmou o interesse.

► O outro atacante que pode desembarcar na Toca do Leão é o gremista Tadeu. O treinador Vagner Mancini indicou o atleta que foi seu jogador na meteórica passagem pelo clube gaúcho. Tadeu este em baixa desde quarta-feira, quando perdeu um pênalti pela decisão da vaga contra o Atlético-GO. O Grêmio foi eliminado e até o diretor de futebol caiu.

Alguns podendo chegar e outros estão de saída. O volante Marcelo Silva veio com pompas de grande jogador, jogou muitas partidas como titular e não agradou. Ele ganha cerca de R$ 25 mil e não tem sido aproveitado pelo treinador Vagner Mancini. A diretoria confirmou as conversas sobre a rescisão que pode acontecer ainda essa semana.

Outro que pode deixa a Toca ainda no início da próxima semana é o zagueiro Alex Oliveira. O jogador foi relacionado em algumas partidas com o técnico Vadão, mas não jogou nenhuma partida. O novo treinador Mancini também não vai utilizá-lo e inclusive já vem relacionando o zagueiro dos juniores, Wallace. Correio da Bahia/AFI/Adaptados

Deixe seu comentário!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*