Vitória procura parceiro para Rodrigão

Aristizábal, Edilson, Índio, Joãozinho e Nádson são atacantes que conquistaram o torcedor do Vitória nesta década. Rodrigão pavimenta o caminho. Apenas o início de Obina, em 2004, apresenta maior afinidade com o ofício do gol que a estatística da atual referência ofensiva.

Rodrigão é autor de cinco gols em cinco partidas, ou 41,67% dos 12 gols rubro-negros desde que ele estreou no Campeonato Baiano. Obina anotou seis em período equivalente. “A experiência ajuda. O astral é bom no grupo. Jogador precisa”, compartilha, sorriso no rosto após treinamento de bolas paradas ao lado de Ramon Menezes, Fernando e Marco Antonio. Aos 29 anos, o santista Rodrigo Fernandes Alflen passou por dez clubes até assinar com o Vitória, em março. No exterior, defendeu equipes de França, Portugal e Arábia Saudita. Chegou a Salvador para substituir Joãozinho, artilheiro do clube na temporada 2007, com 34 gols, e de transferência turbulenta para o Monarcas Morelia, do México. Diferente dos outros atacantes bem-sucedidos na história recente do Vitória, Rodrigão ainda carece de parceiro. Como, anos atrás, o torcedor escalava afiado: André e Aristizábal, Allan Delon e Nádson, Edilson e Obina, Índio e Joãozinho. Como titular, duas vezes com Michel e outras duas com Diego Silva. Na estréia, contra o Atlético, saiu do banco de reservas. O ex-colorado anotou um no Ipitanga e tem cinco na temporada. O ex-ipatinguense ainda não desencantou. “São jogadores de muita qualidade. Caem pelas laterais e facilita para mim, que sou mais de área”, contemporiza. Em 2008, Índio, emprestado ao futebol coreano, segue como o principal goleador do Vitória, com seis gols. O meia Marcos e o zagueiro Marcelo Batatais têm cinco, assim como os atacantes Rodrigão e Michel. No Campeonato Baiano, o time marcou 51 vezes, ataque mais positivo. Na Copa do Brasil, foram mais seis gols em três jogos. Conquista – O lateral-esquerdo Alessandro retornou ontem do empréstimo ao Guarani e é opção para o treinador Vagner Mancini montar o Vitória que enfrentará o Vitória da Conquista, domingo, às 16h, no Barradão.

O médico Rodrigo Vasco da Gama confirmou que o exame de ressonância magnética feito por Marcelo Batatais não constatou lesão muscular. Por outro lado, Michel está com trauma ósseo no joelho e deverá voltar a treinar com o grupo somente na próxima semana. O time B ganhou por 2×1, de virada, da FTC, em jogo-treino, gols de Caíque e Bida, diminuindo Petrus, rubro-negro aluno da faculdade.José Carlos Mesquita/Correio da Bahia

Deixe seu comentário!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*