Vitória defende liderança do Baianão

No futebol, todos correm atrás da liderança das competições, mas basta que um clube a alcance para que comece a tentar minimizar o fato e tirar a responsabilidade que a primeira colocação traz. Mas pergunte para qualquer jogador do Vitória qual pressão é maior? Quando em primeiro ou mal na tabela?

“A pressão fica bem maior quando você não está na liderança. Até os treinos são mais descontraídos, quando você está na frente do campeonato e espero continuar assim até o final”, disse o agora titular atacante Diego Silva.

Ele não é o único a perceber as vantagens que a liderança pode trazer para um time que conviveu com as críticas durante quase três meses por estar longe do topo. “Quando o time está atrás na tabela a pressão é maior com a torcida do que quando você está na frente. Agora, basta manter a postura para ficar na frente”, avisa o meia Marco Antônio, também titularidade depois da chegada de Mancini.

O experiente Jackson também pensa da mesma forma. “A pressão e a responsabilidade é bem menor do que quando está atrás. Porque está com a torcida a seu favor. Na liderança, a pressão não é tão grande”, disse.

Acreditando no bom momento que vive com a sua torcida, a diretoria do Vitória solicitou carga máxima de ingressos para o confronto deste domingo, contra o Vitória da Conquista. São 35 mil ingressos à venda.

Equilíbrio – O jogo deste domingo pode valer a manutenção da liderança pelo Leão ou até a chegada à liderança do Bode. O retrospecto entre os dois adversários deste domingo ainda é recente. São apenas quatro jogos pela Primeira Divisão do Baiano em dois anos.

E o confronto é marcado pelo equilíbrio, com uma vitória para cada lado e dois empates. O rubro-negro leva vantagem apenas por ter feito um gol a mais do que o alvi-verde: 5×4.

Curioso é que nenhuma das duas equipes conseguiu, até agora, comemorar uma vitória no palco da partida deste domingo.

No ano passado, não saíram do zero e, no segundo turno deste ano, fizeram uma grande partida com quatro gols, mas não conseguiram acabar com a igualdade do marcador.

O embate marca também o encontro entre os dois ataques mais eficientes do Campeonato Baiano. Enquanto o Vitória da capital marcou 51 gols em 23 rodadas, o xará do interior balançou as redes outras 45 vezes, no mesmo número de partidas. As informações são do Jornal A Tarde
► Vitória terá livro contando sua história.
Após o sucesso do livro BARRADÃO alegria, emoção e Vitória, dos amigos rubro-negros Alexandro Ribeiro e Luciano Santos, onde os autores narram a história do Barradão, principal artilheiro do Vitória, será lançado em breve o primeiro livro contando a história do Vitória, desde a sua fundação, num resgate centenário.

No dia em que o Vitória completará 109 anos de vida, 13 de maio próximo, será lançado, finalmente, o primeiro livro sobre a história do Vitória. A autoria é do jornalista Ricardo Azevedo, que já foi responsável pela edição da revista do clube.

“Esperava fazer este lançamento há três anos, mas, com os rebaixamentos inesperados ocorridos no Campeonato Brasileiro, adiei o projeto”, revela o autor. De fato, o livro, que foi dividido numa trilogia, já tem suas duas primeiras partes prontas desde 2004, cobrindo 80 anos de história.

Este primeiro livro, chamado de “Tradição”, vai percorrer o período de 1899, ano da fundação do clube, até 1939, último ano em que somente amadores vestiram o uniforme rubro-negro nos gramados. “Tive de dividir o projeto, pois, como primeiro livro sobre o assunto, não quis fazer recortes na história”, explica.

Além de não haver recortes temporais, Ricardo também não distinguiu modalidades no livro. “Esta obra conta uma história do Vitória em suas participações nas diferentes modalidades. Com isso o leitor vai saber que o clube inaugurou quase todos os esportes na Bahia, como futebol, remo, natação, atletismo, tênis, basquete e pólo aquático”, diz o autor.

Outra característica da obra é a contextualização dos fatos. Com o distanciamento temporal, isso se tornou inevitável, segundo o autor. “Sem isso, dificilmente alguém iria compreender o real valor das atitudes daqueles homens no início século passado”, diz.

“Tradição” chegará às livrarias para preencher uma grande lacuna da literatura esportiva sobre o futebol brasileiro, onde o Vitória é um dos precursores, e sobre o esporte baiano em geral. Uma obra para rubro-negros, pesquisadores e para quem gostar de uma boa história.

Eu sou um nome na história – A história do Esporte Clube Vitória
Livro I: Tradição. 1899 – 1939: dos primeiros títulos ao fim do amadorismo.
Autor: Ricardo Azevedo
Editora: Alpha Co
Lançamento: 13 de maio
Valor: R$40,00.

Deixe seu comentário!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*