“Tirar profissionais do Bahia passou a ser o esporte preferido no Vitória”

Tirar profissionais do Bahia passou a ser esporte preferencial no Vitória. Mais fácil que tirar doce da boca de criança. Em sua eterna crise financeira, o tricolor é presa fácil para o maior rival e seu orçamento de Série A. Depois de inúmeros casos nos últimos anos (a dividida prefere nem tentar enumerar todos e correr o risco de se perder), Ricardo Silva é mais um que troca o Fazendão pela Toca do Leão.

Entretanto, a abordagem ao coordenador das divisões de base do Bahia é o ponto a ser levado em consideração. É difícil precisar, mas há algo de traiçoeiro na atitude de fazer proposta a um profissional no momento em que ele trabalha contra sua equipe. Situemos: Ricardo Silva estava no Estádio Luiz Viana Filho, a pedido do técnico Paulo Comelli, para observar e trazer informações de Itabuna e Vitória. Voltou para Salvador a um passo de se tornar profissional rubro-negro. Acredite se quiser!

Na esteira dos acontecimentos, o nome do coordenador da base do Vitória, Carlos Anunciação, começou a ser ventilado no Fazendão. O troco? Carlão está longe de ser uma unanimidade rubro-negra e tem bom trânsito no Bahia, onde trabalhou até 2006. Mas o novo troca-troca não se confirmou. Ele continua na função e Ricardo Silva fará o papel de observador técnico de Vagner Mancini.

Índio numa boa

Há duas semanas quando desembarcou na Coréia do Sul, o atacante Índio foi recebido como celebridade pelos dirigentes do Gyeongnam Clube. O diretor de futebol, Renato Braz, que acompanhou o jogador para fechar o contrato, disse que o atacante foi muito bem recebido também pelos seus novos companheiros. Índio assinou por dois anos, com direito a um apartamento, um carro 0 km e duas passagens de ida e volta. Por cada gol que fizer pelo time receberá US$6 mil. A estrutura que encontrou por lá deixou Índio impressionado. Apesar de não ser um clube de ponta do futebol coreano, o Gyeongnam tem dois belíssimos campos de treinamento e oferece todas as condições para os jogadores. Ao chegar, recebeu todo o material para treinamento, jogo, concentração e viagens. Ele recebeu uma senha da diretoria que lhe dá o direito de escolher um par de chuteira por mês de melhor qualidade, no total de 12 por ano.

Adiadas as liberações

Fora dos planos do Vitória, o zagueiro Alex Oliveira e o volante Marcelo Silva foram proibidos no início da semana de treinarem no campo. A diretoria tomou essa decisão para evitar que ambos se contundissem no trabalho com bola, mas os deixou à vontade para manterem a forma na academia de musculação. Alex Oliveira faz parte do grupo dos 20 jogadores contratados no início da temporada e que não chegou a atuar. O jogador não mostrou qualidades nos treinamentos e o presidente Jorginho Sampaio assume a responsabilidade de dizer que a decisão de rescindir o contrato dele é da diretoria e não do técnico Vágner Mancini, que foi comunicado quando chegou de tal procedimento. Marcelo Silva, no entanto, foi afastado pelo ex-técnico Vadão. O zagueiro e o volante conversaram rapidamente ontem com o supervisor Mário Silva, mas não rescindiram. O novo encontro ficou para amanhã, no CT do Barradão.

Jogos da Copa

O secretário executivo do Ministério do Turismo, Luiz Barretto, contou que, para auxiliar na escolha das dez (ou 12) cidades brasileiras que abrigarão os jogos da copa de 2014, o Ministério do Turismo assinará no dia 25 um convênio com a Fundação Getúlio Vargas (FGV) para a realização de um grande estudo sobre cada uma das 18 candidatas, entre elas Salvador, no qual serão avaliados itens como transporte, segurança e meio ambiente.Na pauta das ações envolvendo o maior evento esportivo do planeta está também um seminário internacional sobre Copa do Mundo e Turismo, marcado para o dia 25, no Rio. O encontro deve reunir representantes de países que já sediaram Copas do Mundo e visa a troca de informações e discussão de temas como infra-estrutura turística, infra-estrutura hoteleira e capacitação profissional. “Há uma possibilidade grande de criarmos um PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) específico da Copa do Mundo”, declarou Barretto.

► Injeção financeira

A Notícia da Série D era esperada há mais de um mês na FBF, devido ao bom relacionamento do presidente Ednaldo Rodrigues com o presidente da CBF, Ricardo Teixeira. Desde então, a FBF tratou de ajustar o caixa para ajudar financeiramente os filiados a, pelo menos, se manterem na Série C de 2009, direito dos classificados entre quinto a 20º lugar na edição 2008. Embora sem muito recurso, devido à crise de Bahia e Vitória, a FBF reservou R$120 mil para ser repartido entre Vitória da Conquista, Itabuna e Atlético de Alagoinhas, trio de filiados classificados. A verba chegará após o estadual, de preferência, para auxiliar na quitação dos salários de junho, época de pré-temporada para a Série C, que começará em julho.

Outra medida será a de solicitar uma audiência com o governador do estado, Jaques Wagner. Ednaldo quer agradecer pessoalmente a parceria através da Secretaria da Fazenda, com o Sua Nota é um Show, além de pedir que o programa seja prorrogado também para os clubes do interior no Campeonato Brasileiro. Como o governo concordou no ano passado, a tendência aponta para repetição da dobradinha. A permanência do interior, ao menos na Série C a partir de 2009, ajudará no fortalecimento técnico do futebol local a médio prazo.

Bahia quer de graça, Vitória é mau pagador

O Presidente do Vitória da Conquista, Ederlane Amorim, está em alerta desde o início do quadrangular do Campeonato Baiano. Com a exposição do clube na mídia, muitos empresários intensificaram os contatos para tentar transferir jogadores. Ex-atleta, Ederlane tem usado a boa relação com antigos companheiros no futebol para evitar que especulações atrapalhem o Vitória da Conquista nas finais. Até agora, a turma entendeu, tanto que evita o contato direto com os destaques… Sobra para o celular do presidente.

Como o Bahia demonstrou interesse em Kléber, após o ídolo e auxiliar Beijoca assistir partida no Lomanto Júnior contra o Atlético, Ederlane Amorim ligou para outros presidentes do interior para saber como o tricolor se comporta nas transferências. Escutou que o clube não tem dinheiro e só demonstra interesse se o produto sair de graça. Já o Vitória sondou Rafael. Aí o empecilho é a fama de mau pagador. Ederlane apurou que o rubro-negro ainda deve dinheiro ao Ipitanga pela ida de Índio e também ao Itabuna, após a transferência do lateral-direito Anderson Souza, que está emprestado. Somando, são mais de R$250 mil.

► Nova camisa tricolor

O Bahia garante que a nova camisa do time será apresentada no próximo dia 24 e é possível que seja utilizada no segundo Ba-Vi das finais, no Estádio Armando Oliveira, três dias depois. A parceria com a Lotto entrou em vigor no dia 1º de abril. Não é mentira. De lá para cá, o tricolor enfrentou o Vitória da Conquista com o material da antiga fornecedora, a Diadora. O time ainda fará um mínimo de outras duas partidas expondo a marca da rival italiana da nova parceira. O design do novo uniforme está pronto e foi aprovado pelo departamento de marketing tricolor, mas é guardado a sete chaves. O acordo com a Lotto renderá ao Bahia R$350 mil em dinheiro e outros R$900 mil em produtos por ano.

► Preto Casagrande faz tratamento no Santos

O volante Preto Casagrande, que disputou a Série C de 2007 pelo Bahia, passará os próximos 15 dias em Santos fazendo tratamento no tornozelo direito. O jogador rescindiu seu contrato com o tricolor baiano e no momento está sem clube.

O jogador optou por se tratar no Cepraf do Santos, um dos mais modernos centros de recuperação para atletas no Brasil. Preto, de 32 anos, foi campeão brasileiro pelo Peixe em 2004. As informações são do Globo Esporte.com.Coluna Dividida/Correio da Bahia – 13.04.08

Deixe seu comentário

1 Comentário

4 Trackbacks / Pingbacks

  1. 놀이터추천
  2. รักษาหลุมสิว
  3. sweet tomatoes coupon
  4. tree removal nashville tn

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*