Prefeitura negocia saída de famílias da Fonte Nova

Com o objetivo de marcar a passagem do Dia Internacional da Mulher, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Sedes) realizou no último sábado um café da manhã com os moradores da área em volta do Estádio da Fonte Nova. A idéia era não só homenagear as mulheres, na pessoa da líder do grupo, dona Maria de Fátima Dias Ribeiro, como também promover uma sensibilização para que aceitem o acolhimento oferecido pela Prefeitura de Salvador, desocupando o local, interditado desde o acidente ocorrido no jogo Bahia x Vila Nova, em novembro do ano passado.

Em situação de rua desde 1996, dona Maria, como é conhecida, e seus familiares que compõem o grupo, com cerca de 10 pessoas, já receberam diversos benefícios da Prefeitura, entre os quais auxílio-moradia, materiais de construção, vale-vida (hoje extinto), num total de cerca de R$ 19 mil. Ela também já foi inserida nos programas assistenciais da Sedes, mas preferiu voltar às ruas.

“Isso aqui não é morada para ninguém, todos temos direito à habitação digna, e isso já foi viabilizado para vocês, mas a Prefeitura não pode continuar pagando aluguel sem que as casas sejam ocupadas”, disse a secretária Maria das Dores Loiola Bruni. Numa das últimas ações da Sedes, foram alugadas quatro casas no bairro de Valéria, no valor mensal de R$ 600,00. Apesar disso, dona Maria e seus familiares continuaram ocupando a área externa do estádio.

A secretária falou sobre o projeto que está em construção para a população em situação de rua de Salvador. “Estamos fazendo uma parceria com a Sedes estadual para a montagem de um empreendimento econômico e solidário, no bairro de Jardim Cajazeiras, onde as pessoas em situação de rua que trabalham com coleta de material reciclável vão ser capacitadas para produzir artefatos, na perspectiva da geração de emprego e renda”, disse.

Portal da Cidade

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*