Ditadura no Bahia foi confirmada

Desta vez de forma clara e inequívoca. Foi determinado que não terá eleições diretas na mudança do estatuto do Esporte Clube Bahia mesmo com a emenda feita e posta à votação pelo conselheiro Ademir Ismerim que adicionava ao estatuto o artigo das eleições diretas.

Desta vez foi votada às eleições diretas e a maioria dos 30 conselheiros, muitos deles filhos e parentes de Paulo Maracajá, Marcelo Guimarães, Petrônio Barradas e Rui Acioly comandaram a derrubada das eleições diretas por 27 x 3. Uma goleada em favor da ditadura.Agora Paulo Maracajá não mais pode dizer que é a favor das eleições diretas. Coisa que o mesmo diz aos quatro cantos da Bahia graças à imprensa que da espaço a quem se contradiz com atos o que fala.

Agora Marcelo Guimarães Filho não pode se orgulhar de ser deputado federal tendo medo de eleições diretas no Bahia.

Lamentável que essa imensa nação tricolor esteja nas mãos de gente com as piores intenções possíveis com o Bahia. Afinal quem quer manter a ditadura de mais de 30 anos certamente tem algum interesse nisso.

Bravos foram os torcedores que se fizeram presentes à porta da sede de praia, caindo aos pedaços e muito mal administrada por sinal, e fizeram valer aos que se dizem conselheiros o seu brado de Diretas Já. Parabéns a Conciência Tricolor, Torcida Povão e Torcida Bamor.

Qual a cara que esses 27 conselheiros tem para encarar seus filhos e netos e dizerem que eles são Bahia? E o pior. Qual a cara dos 270 conselheiros que se omitiram em uma data tão importante como essa e não compareceram para expor seu desejo?

Quanto à data essa sim foi feita na medida da inteligência do seu comandante mor. Quarta-feira, vésperas de carnaval. Nada a declarar…

Edmilson Gouvêa

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*