Governo pode não demolir a Fonte Nova

Caberá a um grupo de trabalho (GT) formado por dez secretários do Governo do Estado, mais representantes da prefeitura de Salvador, decidir sobre o futuro da Fonte Nova e de que forma o estádio será adaptado para a Copa do Mundo de 2014. O grupo foi criado através de um decreto do governador Jaques Wagner na última segunda-feira.

Oficialmente criado com a função de pavimentar a candidatura da capital baiana à sede da Copa do Mundo, o GT será liderado pelo chefe de gabinete do governador, Fernando Schmidt, e terá representantes das secretarias de Infra-Estrutura, Turismo, Planejamento, Casa Civil, Trabalho e Esporte, Segurança Pública, Cultura, Meio Ambiente, além da Assessoria Geral de Comunicação Social (Agecom).

O grupo, que contará com o apoio administrativo da Superintendência de Desportos do Estado da Bahia (Sudesb), prevê a criação de Câmaras Setoriais. A principal delas é a que irá decidir sobre o estádio que será utilizado para sediar os jogos do mundial.

O coordenador do GT, secretário Fernando Schmidt, garante que as partidas da Copa do Mundo serão disputadas no local onde hoje é a Fonte Nova, caso a candidatura de Salvador seja sacramentada. O secretário de Trabalho e Esporte, Nilton Vasconcelos, também confirma: “O objetivo é construir ali o nosso estádio da Copa”.

De acordo com Schmidt, o futuro da Fonte Nova será definido pelo grupo de trabalho. “Ainda não sabemos se o estádio será adaptado através de uma grande reforma ou se ele será demolido” diz. Apesar da dúvida, o governador Jaques Wagner já se mostrou favorável à implosão da velha Fonte.Veja matéria completa aqui

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*