Fonte Nova: Implodir ou reformar?

Os responsáveis por gerir a candidatura de Salvador como sede da Copa do Mundo de 2014 apostam no Estádio da Fonte Nova. A dúvida está entre partir para complexa reforma ou implodir a praça esportiva e se erguer outra no local. A chance de nova arena na Avenida Paralela é limitada.

O secretário do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte, Nilton Vasconcelos, fomentou o debate durante simpósio na Faculdade 2 de Julho, ontem. “O governo vai decidir com base na capacidade de investimentos e de gestão a partir de dados concretos”, expôs. Equipe da Secretaria de Indústria, Comércio e Mineração articula com dois diferentes grupos portugueses a captação de recursos para viabilizar a obra.

Relatório publicado no final de outubro no site oficial da Fifa indica o nome de Arena da Bahia como um dos 18 estádios do país. Antes do empate entre Bahia e Bragantino, semana passada, o governador Jaques Wagner opinou favoravelmente por demolir a Fonte Nova, embora a definição esteja prevista para o primeiro semestre de 2008. “Assim, mantemos o processo para revitalizar a região que engloba até o Centro Histórico e o Comércio”, ressalta o presidente da FBF, Ednaldo Rodrigues.

No projeto inicial, o complexo inclui centro de convenções, praça de alimentação e estacionamentos. O estádio tem capacidade para cerca de 40 mil pessoas e está orçado em R$360 milhões. “Consta o final da Vila Olímpica no projeto. Para onde ela iria? É importante elucidar para a Copa ser um ganho também para outros esportes”, opina Vasconcelos, ainda preocupado com a capacidade. “Pessoalmente, penso em 60 mil”.

Marcos Ferreira, atual vice-presidente da FBF e eleito vice-presidente da CBF para região Nordeste, cargo que ocupará a partir de janeiro, ratificou as chances favoráveis para Salvador ser eleita uma das sedes. “Pela importância histórica da Bahia, a força como destino turístico, a paixão do povo pelo futebol e consistência do projeto”, enumerou.

O secretário Nilton Vasconcelos anunciou durante o Simpósio que a partir de 2008 os atletas baianos vão receber uma bolsa atleta com valores variando de R$380.00 até R$2 mil. “Queremos ranquear todos os atletas desde a base e eles vão receber a bolsa de acordo com seus resultados”.

Pituaçu – Durante o seminário, foi revelado o compromisso da bancada baiana na Câmara dos Deputados para transformar o Estádio Metropolitano de Pituaçu em uma Arena Olímpica. A soma de emendas individuais prevê que sejam transferidos, a partir do próximo ano, recursos na faixa de R$25 milhões.Correio da Bahia

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*